Prémio Oceanos
Fonte: Pixabay

Dia Mundial do Livro: os favoritos dos redatores

Hoje, dia 23 de abril, comemora-se o Dia Mundial do Livro. O Espalha-Factos não podia deixar de assinalar uma data tão importante para todos os amantes de livros e literatura e, por isso, reuniu alguns redatores da secção numa lista de favoritos que promete tornar-se na tua wishlist.

De certeza que já leste um livro que mudou a tua forma de ver o mundo, que te marcou e do qual nunca mais te esqueceste. Aquela história que mudou a tua perspetiva sobre as coisas, que te fez repensar sobre o que te rodeia e que leste e releste vezes sem conta. Deixamos-te alguns dos livros que, de alfuma forma, mudaram a vida dos nossos redatores e que certamente vão continuar a mudar.

Fernando Pessoa – O Romance, Sónia Louro

Sofisticada e minuciosa, além de apaixonada pelas obras que escreve, Sónia Louro traz-nos, com o seu livro Fernando Pessoa – O Romance, uma obra que fazia falta no panorama literário português.

Fernando Pessoa- o romance Fonte Wook
‘Fernando Pessoa- O Romance’ | Fonte: Wook

Este é o romance biográfico de Fernando Pessoa, o poeta que foi muitos poetas. Pessoa é resgatado nesta biografia subjetiva, a escritora tenta retê-lo do nosso lado, do lado dos vivos. E embora seja difícil e limitativo passar para o papel a alma de uma pessoa, a meu ver, Sónia Louro conseguiu fazê-lo.

A vida do poeta não foi rica em acontecimentos, mas foi sobejamente recheada de uma densidade emocional, psíquica e intelectual.

A sua infância sofrida e sua solitária vida adulta, as suas relações de amor e desamor e os seus escritos são alguns dos temas abordados nesta obra, que desvenda segredos, medos, sonhos e, mais importante, a humanidade de Fernando Pessoa.

Pessoa foi, entre tantas outras coisas, astrólogo e médium e, sem uma explicação óbvia, parece até que comunicou com a escritora segredando-lhe e ditando-lhe este livro.

– Catarina Augusto

Senhor dos Anéis, J.R. Tolkien

‘Senhor dos Anéis’ | Fonte: Fnac

A trilogia do Senhor dos Anéis, obra prima de J.R.R. Tolkien, não pode ser dividida para só se falar de um livro.

Tolkien revolucionou a literatura fantástica e transformou-a na que conhecemos hoje. “O pai da fantasia” mostrou-nos que a capacidade de um imaginário sem limite se pode traduzir numa obra prima da literatura.

O universo da Terra Média e a beleza das personagens intemporais fazem parte desta que é a maior aventura alguma vez escrita, que inspirou também Peter Jackson a realizar alguns dos melhores filmes da história do cinema e que tão bem conhecemos.

Mais que uma trilogia de livros, o Senhor dos Anéis é um marco que veio revolucionar a ideia que tínhamos de literatura.

– João Gama

Livro do Desassossego, Fernando Pessoa

O Livro do Desassossego - Wook
‘O Livro do Desassossego’ | Fonte: Wook

Um livro que não é bem um livro, mas antes um conjunto de pensamentos unidos. O único livro que Fernando Pessoa viu editado na sua vida foi A Mensagem (o célebre livro patriota e obra clássica da literatura portuguesa). Já o Livro do Desassossego é um conjunto de pensamentos e textos escritos por Bernardo Soares, outro dos homens que habitava a mente do poeta. Entre pequenos parágrafos e textos soltos, Pessoa revela-se e há quem pense que o livro nos dá mais a conhecer o próprio poeta do que a personagem que o assinou. Pessoa escreveu-o desde os 25 anos até ao final da sua vida e existem inúmeras versões, dando a ideia de que este é um livro eternamente aberto.

Pessoa tenta responder a perguntas como “quem sou eu” ou “o que é o amor ou a vida” deambulando na sua mente – e nós com ele. É uma obra que certamente marca a forma como vemos o mundo e o apreciamos. É, no fundo, uma forma de explorar a profundidade da mente de um génio.

Ensaio sobre a cegueira, José Saramago

É ingrato reduzir o trabalho de José Saramago a apenas um livro, tal como o é com Pessoa. Mas o Ensaio sobre a Cegueira é dos ensaios do nobel português mais brilhantes da literatura portuguesa e um clássico que todos deviam ler. Uma sociedade que tenta sobreviver quando a cegueira se transforma numa praga e traz à superfície o que de mais animal todo o ser humano tem.

Numa sociedade atual, onde a cegueira não é literal mas é cada vez maior, é bom relembrar que o ser humano pode ir de bestial a besta num ápice. Um livro inacreditável que nos faz repensar a nossa própria existência e convivência em comunidade, entre outras coisas.

  – Raquel Lopes

A Arte de Amar, de Erich Fromm 

Escrito por Erich Fromm, psicanalista e filósofo alemão, A Arte de Amar oferece a quem o lê uma perspetiva única sobre a experiência humana e o amor no seu sentido mais amplo. Da teoria à prática, do amor a Deus, ao amor erótico, ao amor fraterno ou ao amor próprio, em todas as suas formas ele é neste livro analisado pelas lentes da Psicologia e da Psicanálise, sem se descolar do contexto sociológico atual.

São temas de reflexão os laços familiares, a infância e a forma como nos molda, as experiências de um amor erótico, os diferentes vínculos psicológicos que o ser humano estabeleceu com o divino ao longo da História ou a vivência do amor fraterno e da compaixão nas sociedades atuais. Ler este livro (com a calma que ele merece) é um processo de redescoberta e humanização e uma irremediável viagem de mãos dadas connosco e simultaneamente com a humanidade toda.

-Rita Madeira

Lê também: DIA MUNDIAL DO LIVRO: 10 DOS LIVROS MAIS POLÉMICOS DE SEMPRE

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Fina Estampa Globo
Fina Estampa. No Brasil, novela repetida tem maior audiência que as inéditas