A lua cheia desta sexta-feira (19), que é santa para os católicos, é chamada de lua rosa. No entanto, não é dessa cor que ela surge. E, no mês que vem quando houver uma lua azul, ela também não vai parecer o planeta do Avatar. Então, mas se elas não têm cor, porque é que se chamam assim?

As cores que lhe são atribuídas estão relacionadas com o facto de serem as luas cheias da primavera. A desta semana é chamada de rosa, ou cor-de-rosa, devido à cor das primeiras flores da estação, a azul tem esse nome por ser a terceira das quatro.

Esta lua cheia do mês de abril foi assim batizada pelos índios norte-americanos, numa referência à Phlox subulata, uma flor nativa da América do Norte que costumava florescer por esta altura.

Lê também: Programa da Cristina regista pior audiência de sempre

A lua pode ter a coloração rosa ou vermelha, no caso de eclipses totais ou parciais, mas isso não está em nada relacionado com aquilo que se passa na noite desta sexta-feira. De acordo com a Forbes, o próximo eclipse parcial será visível na Europa a 21 de julho de 2019.

Assim, se o céu estiver suficientemente limpo, a lua que for vista hoje vai ter uma cor normal: entre o laranja, o amarelo e o branco.

E a lua azul… porque é que não é azul?

No caso da lua azul… ela pode ser chamada assim em duas situações: a do próximo dia 18 de maio por ser a terceira lua cheia das quatro que há na primavera. É uma lua azul sazonal. A segunda situação verifica-se quando há duas luas cheias no mesmo mês – a segunda lua cheia do mês é chamada de lua azul.

James Carter, redator de Ciência da Forbes, garante, no entanto: “A lua nunca vai ficar azul. Nunca ficou, nem nunca vai ficar“. “As luas azuis não são azuis e as luas rosas não são (normalmente) rosas e o nascer da lua vai parecer exatamente igual a qualquer outro“, explica.