Samuel Úria apresenta “Marcha Atroz” em Aveiro

Nascido no decote da nação, entre o Caramulo e a Estrela, Úria leva para os palcos o blues do Delta do Dão. De lenda rural para lenda urbana, tudo está certo: meio homem meio gospel, mãos de fado e pés de roque enrole.

“Ferrugem”, “Fusão”, “Mãos” e “Vem de Novo” são as novas canções do músico de Tondela e compõem o seu novo mini-álbum Marcha Atroz, que apresentou no Avenida Café Concerto.

Nas suas palavras, “são músicas sobre a oxidação dos bens e a oxigenação do Bem. São cantigas para que tudo se largue e nada se olvide. São palmadas na inacção, combustões espontâneas e canonizações instantâneas. Malhas de revolta e de Travolta. Na Marcha Atroz vergo-me ao protesto, vendo-me para peças, visto a pele do crooner salomónico, vou esconjurando o esquecimento. É um mini-álbum de retrospectiva, mas tem capa amarelada como um post-it para o futuro.”

O Espalha-Factos esteve presente no concerto e mostra-te a marcha de Úria:

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Alba Baptista em Warrior Nun
Alba Baptista. Quem é a nova cara portuguesa na Netflix?