É já a partir de dia 6 de abril que irá decorrer a 16.ª edição do concurso internacional de dança Dançarte, realizado no Teatro das Figuras, em Faro. Com mais de 30 escolas inscritas, serão centenas de bailarinos e coreógrafos, portugueses e estrangeiros a concorrer ao longo dos quatro dias de competição.

Em janeiro, a fase de pré-seleção dos solistas ficou a cabo da ex-Bailarina Principal e Mestre da Companhia Nacional de Bailado, Barbora Hruskova. Foi a jurada que deu início à primeira fase do concurso, selecionando apenas 65 das centenas de candidaturas de jovens bailarinos que quiseram concorrer.

Este evento anual dirige-se a todos os bailarinos, entre os 8 e os 25 anos, inscritos em qualquer escola de dança sediada em território português ou no estrangeiro, abrangendo estilos de dança tão variados como a clássica, a contemporânea, a dança de caráter, hip-hop, jazz ou sapateado.

O Dançarte é ainda a casa de uma competição dedicada exclusivamente a coreógrafos contemporâneos, valorizando a nova criação artística nacional e internacional.

A partir de dia 6 de abril

Durante os dias de competição e workshops, o júri do Dançarte contará com a presença da italiana Claudia Zaccari, ex-bailarina principal da Ópera de Roma e atual representante da marca Só Dança; do português Daniel Cardoso, diretor artístico e coreógrafo do Quorum Ballet; da brasileira Gisela Vaz, Presidente do Conselho Brasileiro de Dança e organizadora da pré-seleção do Prix de Lausanne no Brasil; do alemão Johannes Härtl, diretor Artístico da Iwanson International School of Contemporary Dance; do português Filipe Macedo, ex-bailarino e atual professor residente da Companhia Nacional de Bailado; da italiana Rosanna Brocanello, fundadora e diretora artística da Companhia Opus Ballet; e do húngaro Tamas Moricz, co-diretor do Royal Ballet of Flanders.

A juntar aos pódios, em cada edição do concurso são premiados os melhores através da atribuição de ações de formação, audições internacionais e workshops, em Portugal e no estrangeiro, e de prémios monetários de 1000 euros para o Prémio de Coreografia; de 750 euros para Melhor Solista, Melhor Dueto/Trio e Melhor Grupo; e de 500 euros para o Prémio de Interpretação Contemporânea.

Dançarte

Foto: divulgação

As edições anteriores do Dançarte

Ao longo dos anos, o Dançarte tem contado com a participação de escolas estrangeiras provenientes da Alemanha, Canadá, Espanha, Estónia, Geórgia, Holanda, Lituânia, Polónia, Noruega e Rússia, sendo que alguns destes países participaram mais de uma vez e com mais que uma escola.

O evento pretende, assim, representar em Portugal a promoção do desenvolvimento cultural, da educação artística, da formação na área das artes do espetáculo, da cooperação e intercâmbio cultural e artístico.

A primeira edição do concurso ocorreu em 2004, tendo desde então conquistado notoriedade nacional e internacional, com um número cada vez maior de jovens bailarinos, coreógrafos e escolas participantes.

Em 2018, foram mais de 1200 os que quiseram participar na competição e muitos mais os que assistiram ao vivo no Teatro da Figuras e através da emissão online e exclusiva no YouTube oficial do Dançarte. Vê agora o vídeo da abertura deste ano.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=uCCZ1BhNCuk]

Lê também: DIA DA MULHER: O LEGADO FEMININO DE TALENTO E EMANCIPAÇÃO NOS PALCOS DO MUNDO