Há quem lhe atribua um carácter quase divino, quem tente dissecá-la e desvendar um segredo concreto e mais profundo, quem com ela rime ou até quem desconstrua a métrica e não faça caso do verso. Em todo o caso, ela sempre reuniu amantes por todo o mundo, sendo muitas vezes um reflexo da sua realidade contemporânea ou até uma fuga da mesma.

Para assinalar o Dia Mundial da Poesia, preparámos-te um breve Roteiro Lisboeta da Poesia, passando por vários clubes e serões de poesia que acontecem regularmente pela capital. Além disso, ficarás a par dos eventos que vão marcar este dia e celebrar a poesia.

Noites da Palavra, Bar do teatro A Barraca

O epicentro dos serões de poesia foi o Porto, mas naturalmente eles chegaram a Lisboa, anos mais tarde. O movimento lisboeta foi iniciado pelo poeta Miguel Martins no Bar do teatro A Barraca, acompanhando-se de um convidado e, por vezes, de um músico. Eventualmente a Poesia às Quintas deu lugar a serões mais abrangentes onde não só se lê poesia, mas se escutam histórias, e se fazem Noites da Palavra, às segundas-feiras. A próxima acontece a 25 de março, pelas 21h30.

Sala que recebia a Poesia às Quintas

Clube dos Poetas Vivos, Teatro Nacional D.Maria II

Porque o teatro também pode ser palco de tertúlias, neste caso, de poesia, o Teatro Nacional D.Maria II recebe uma vez por mês o Clube dos Poetas Vivos, em parceria com a Casa Fernando Pessoa. De um pequeno clube secreto surgiu uma tertúlia que conta já com mais de uma centena de sócios e o desejo é mesmo que “se passa a palavra”. Sempre a uma terça-feira, o próximo encontro acontece a 2 de abril, no Átrio, pelas 19h.

Leitura no Clube dos Poetas Vivos em 2018

Terças de Poesia Clandestina, Desterro

A Terças de Poesia Clandestina são um ciclo de sessões de poesia, que acontecem a partir de duas intervenções programadas para cada noite, com exceção do momento final de open mic, onde todos podem participar livremente. A declamação de poesia é feita, contudo, numa fusão com a música e a videoarte. O grupo responsável pela sua organização é a editora Reunião Aprócrifos Furagidos, em particular Vasco Macedo. As sessões acontecem quinzenalmente no Desterro (Desterrense Associação Cultural e Recreativa – D.A.R.C.), mas de momento estão em pausa.

Poetas do Povo, Povo Lisboa, Cais do Sodré

Decorrem semanalmente desde 2013 no espaço Povo e têm como missão fomentar e criar um espaço livre de experimentação poética. Organizadas pela Culture Trend Lisbon, cada sessão conta com quatro convidados, sejam eles declamadores, poetas, atores ou personalidades ligadas à Poesia. Assim, todas as segundas-feiras, entre as 22h e as 00h, poderás mergulhar no verso dito, seja como espetador, seja como declamador.

Serão dos Poetas, Teatro Passagem de Nível

Erguido no começo dos anos oitenta, o Teatro Passagem de Nível é um grupo de teatro amador no seio do qual surgiu não um clube de leitura mas um Serão dos Poetas. Todas as últimas sextas-feiras de cada mês recebem quem queira partilhar o seu universo poético, lendo ou declamando de cor um qualquer poeta, consagrado ou não. Basta aparecer no Auditório de Alfornelos, pelas 21h30.

‘Pessoa’, em cena no 35.º Aniversário do Teatro Passagem de Nível

Ir à Estante, Casa Fernando Pessoa

Foi a última casa do poeta e hoje em dia tem as portas abertas aos amantes e curiosos que desejem conhecer de perto o homem por detrás do artista. Os visitantes podem conhecer o quarto do poeta, uma sala multimédia e até uma Biblioteca da Poesia Mundial. Repleta de vida e de uma programação cultural que nos convida, todos os dias, a homenagear a poesia, é de destacar a tertúlia de poesia da Casa Fernando Pessoa. De quinze em quinze dias, às quartas-feiras, pelas 18h, os amantes do poeta são convidados a Ir à Estante e partilhar leituras e conversas em torno da obra de Pessoa.

Casa Fernando Pessoa

Aqui, celebra-se o verso

Ainda esta quinta-feira (21), a Fnac receberá em várias lojas eventos de celebração da poesia e dos seus autores. A Fnac Chiado irá reunir os filhos de poetas como Alexandre O’Neill, David Mourão-Ferreira, António Gedeão e Sophia de Mello Breyner Andresen. Esta tertúlia, Dizem os Poetas, será o mote  para uma conversa moderada pela escritora e poetisa Elisabete Marques, pelas 18h30. Já na Fnac Colombo, o Poesia Com(n)vida oferece poesia recitada por poetas e investigadores aos seus amantes, a partir das 17h. Para quem prefere teatro, poderá assistir a Salvé a Língua de Camões na Fnac NorteShopping a uma dramatização de textos de autores lusófonos, pelas 21h, através da companhia Teatro Reator. Ainda em Lisboa, acontece o Celebrando o Dia da Poesia na Fnac Oeiras, pelas 13h, onde vários convidados declamarão poesia. Quem não está no continente poderá também assistir a uma declamação de poemas na Fnac Madeira, num Encontro de Poesia, pelas 19h30.

Mais: o CCB assinala, a 23 de março, o centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen. Para tal, abre portas das 15h às 19h, oferecendo acesso gratuito a debates, documentários, leituras e concertos em torno do universo da poetisa. Transversal a toda esta oferta é a Feira do Livro de Poesia, também no CCB.

Para quem prefere o universo poético particular de Pessoa, a Casa Fernando Pessoa irá assinalar a data com Leitura de Poesia, por Beatriz Batarda e Nuno Rafael, às 18h30 desta quinta-feira.

LÊ TAMBÉM: DIA MUNDIAL DA POESIA: AS ESCOLHAS DOS REDATORES