Hoje (19) celebra-se uma data especial, o Dia do Pai. Como tal, o Espalha-Factos pensou em algumas das melhores relações entre pais e filhos no mundo das séries. 

Todas as relações têm os seus altos e baixos, sobretudo quando se fala de família. A lista apresentada tem em conta esse facto e mostra-te seis diferentes tipos de figura paternal que, de uma maneira ou de outra, marcaram os nossos corações.

David Nolan e Emma Swan, Once Upon a Time (2011-2018)

David (Josh Dallas), também conhecido por Príncipe Encantado, serve como belo exemplo para começar esta lista. É um pai compreensivo, corajoso e protetor. A sua filha, Emma (Jennifer Morrison), teve a vida ameaçada mal deu o seu primeiro suspiro, devido a uma maldição negra lançada sobre o reino. David lutou para a salvar, acabando com ferimentos graves que o deixaram em coma.

David nunca desistiu, sempre lutou para proteger Emma, para que um dia se voltassem a reunir. É um pai atento que tem um sentido apurado para perceber quando algo de errado se passa com a sua filha. É bom ouvinte e, sobretudo, bom conselheiro. Nele, Emma encontra sempre amor e conforto.

Apesar de não ter conseguido criar Emma, David procura recuperar o tempo perdido, mostrando que as melhores relações não precisam de ter anos. Com esforço, a intimidade e a confiança surgem e fazem com que David se una a Emma como xerife de Storybrooke.

Emma, muitas vezes, é dura consigo mesma e precipitada. David acalma-a em vários destes momentos ao longo da série.

Ned Stark e Arya Stark, Game of Thrones (2011 -)

Ned Stark (Sean Bean), figura paternal da primeira temporada da famosa série da HBO, merece estar nesta lista por várias razões. Apesar do seu tempo reduzido na série, deixou marcas que guiaram Jon Snow (Kit Harington), Sansa (Sophie Turner) e Arya Stark (Maisie Williams) para serem quem são hoje. É impossível olharmos para estes jovens sem vermos a honra, lealdade e sentido de coragem que o pai lhes transmitiu.

Arya, por exemplo, sempre se sentiu uma rapariga diferente. Queria lançar flechas e aprender a lutar, práticas que não eram tidas como adequadas para o sexo feminino. No entanto, o seu pai sempre a encorajou a fazer aquilo que o coração lhe mandava. Até permitiu que tivesse aulas para aprender a utilizar uma espada em contexto de luta.

Arya sempre teve alguma dificuldade em perceber o funcionamento do reino, sobretudo no que toca às obrigações destinadas às mulheres. Sempre questionou o porquê do seu destino ser determinado pelos outros, pelo mero facto de ser uma rapariga. Não era esse destino que ela queria para si e, desde cedo, o confessou ao seu pai. Ned sempre a percebeu, respeitou e foi honesto com ela para que cedo percebesse a realidade e se tornasse forte.

As diferenças entre ela e a sua irmã Sansa, por exemplo, podem existir. No entanto, isso não significa que se devem afastar. A união faz a força da família e Ned transmitiu-lhe essa lição.

Ned indiscutivelmente sempre pensou no bem da sua família, mostrou grande preocupação e afeto pelos seus filhos. Permanece na memória de todos com grande saudade.

Jim Hopper e Eleven, Stranger Things (2016 -)

Podem considerar estranho Hopper (David Harbour) estar nesta lista associado a Eleven (Millie Brown), mas se tiverem atentos à segunda temporada de Stranger Things devem ter percebido que a relação entre os dois tornou-se bastante forte. Além disso, pai é quem cuida. Não basta os laços de sangue e estes dois provam isso.

Hopper teve uma filha com cancro e, desde então, o seu lado paternal nunca mais foi o mesmo. Quando se aproxima de Eleven sente-se visivelmente na obrigação de a proteger como se de uma filha se tratasse, devido ao enorme carinho que ganhou por ela.

Desamparada e escondida do mundo na segunda temporada da série da Netflix, Eleven é ajudada por Hopper que se preocupa em trazer-lhe a sua comida favorita (Eggo waffles) e arranjar-lhe uma televisão para que ela se entretenha, enquanto ele está fora em serviço. Ambos solitários, fazem companhia um ao outro e tornam-se verdadeiramente próximos quase como se fossem realmente pai e filha.

Ainda na segunda temporada da série assistimos a uma forte discussão entre os dois que mais tarde vemos a ser resolvida, mostrando que o amor de pai e filha vence qualquer barreira. Apesar de Eleven ser teimosa, ela acaba por perceber que Hopper sempre quis o seu bem e sempre a protegeu contra tudo e todos.

 Lê também: Queres trazer o teu pai para o futuro? Experimenta oferecer-lhe um estes gadgets

Dexter Morgan e HarrisonDexter (2006-2013)

Sim, a conduta de Dexter (Michael C. Hall) talvez te faça considerar que ele não devia estar nesta lista, mas deixando essa parte de lado…vamos focar-nos nele enquanto pai.

Dexter começa a mostrar o seu lado carinhoso e familiar quando se torna praticamente pai de Astor (Christina Robinson) e Cody (Preston Bailey), filhos da sua namorada Rita (Julie Benz). No entanto, ao longo de toda a série sempre mostrou preocupação com a sua família, especialmente pela sua irmã (Jennifer Carpenter), sendo quase um pai para ela por ser o irmão mais velho.

No entanto, é quando nasce Harrison (Evan Kruntchev) que vemos o seu lado paternal no seu estado mais puro. Apesar dos seus conflitos internos, não deixa nunca de ser um pai presente e preocupado. Até participar numa peça de teatro de crianças se torna numa realidade para conseguir acompanhar as atividades de Harrison.

Burt Hummel e Kurt Hummel, Glee (2009-2015)

As aparências enganam e Burt (Mike O’Malley) é prova disso. Quando o vimos pela primeira vez percebemos que não poderia representar melhor o estereótipo de homem heterossexual americano homofóbico. Pelo menos assim o parecia, pela sua aparência, pelo seu trabalho como mecânico e também pela dificuldade inicial que teve em aceitar a orientação sexual do seu filho, Kurt (Chris Colfer).

Burt criou o filho sozinho e sempre trabalhou para lhe dar uma vida melhor. Quando Kurt lhe diz que é gay, ele demora um pouco a interiorizar esta realidade, mas acaba por reconhecer que já sabia desde a infância do filho e acaba por lhe dar todo o seu apoio, provando que a felicidade de Kurt é o que importa para também ele ser feliz.

Burt soube ouvir, respeitar e aceitar o filho como ele era. Fez de tudo para o proteger do mundo que não o entendia e tornou-se numa pessoa melhor.

Kurt sempre foi um rapaz retraído, sobretudo pelo bullying que sofreu durante anos em silêncio, mas quando conta ao seu pai a verdade, sente-me menos sozinho e protegido. Afinal, se tiver o pai do seu lado, a luta torna-se menos pesada. Burt quis exatamente que o filho percebesse que não estava sozinho e que tinha todo o apoio do pai.

Phil Dunphy e Luke Dunphy, Modern Family (2009-)

A lista não podia terminar sem referir, claro, Phil Dunphy (Ty Burrel), o pai “cool” como ele próprio afirma. Sim, é verdade, Phil é o pai “cool” ou pelo menos tenta ser. Quer que os filhos o vejam como autoridade, mas ao mesmo tempo como um melhor amigo, daí que em várias situações o vejamos a entrar em brincadeiras como se também ele fosse um miúdo.

Phil tem um lado brincalhão e puro. Preocupa-se com a Haley (Sarah Hyland), a Alex (Ariel Winter) e o Luke (Nolan Gould) como ninguém e ama-os incondicionalmente.

É com o Luke que vemos mais este seu lado mais descontraído e divertido. São os dois muito parecidos e acham piada ao mesmo tipo de brincadeiras. Esta é uma das mais icónicas relações entre pai e filho do mundo das séries televisivas.

Luke sempre foi o parceiro de Phil, aquele que alinhava em qualquer aventura e brincadeira, tendo também, por momentos, partilhado a sua paixão por magia. À medida que Luke foi crescendo, Phil vacilou com receio de perder o seu infindável parceiro. Contudo, Luke já provou que está sempre ao seu lado, como verdadeiros melhores amigos.

Tudo o que Phil quer é estar presente na vida dos filhos, e para isso, faz de tudo para os entender e integrar-se, só assim consegue sentir-se próximo a eles, mesmo que por vezes, eles não percebam o esforço do pai e tenham vergonha de algumas atitudes dele.

Lê também: Dia do Pai: Alguns dos Pais mais marcantes da televisão