No Primeiro Dia de Luto Nacional pelas vitimas de violência doméstica a Fundação do Grupo Vodafone e o Grupo Vodafone anunciaram o lançamento de uma app para ajudar as vítimas de violência doméstica: a Bright Sky

Estamos no terceiro mês de 2019 e até ao momento já morreram mais de dez mulheres vitimas de violência doméstica. O número tem gerado uma onda de revolta e de movimentos de apoio às vitimas.

É neste sentido que surgem duas iniciativas da parte da Vodafone: uma dirigida à comunidade e outra para aplicar internamente no Grupo Vodafone.

https://www.facebook.com/vodafonePT/videos/364695244152480/

Bright Sky 

A aplicação Bright Sky foi criada pela Fundação Vodafone e tem acesso gratuito. Uma das funcionalidades – atuando de forma preventiva – consiste num breve questionário que ajuda os utilizadores a avaliar a segurança do seu relacionamento.

Aqui podem ainda encontrar informações sobre diferentes formas de abuso, tipos de apoio disponíveis, as etapas a serem consideradas para terminar um relacionamento abusivo e conselhos para ajudar amigos ou familiares que sofrem de violência doméstica.

Através da app os utilizadores podem também localizar, de forma rápida e intuitiva, o centro de ajuda mais próximo. De forma a registar todas as evidências, a Bright Sky permite ainda colocar num diário digital – totalmente seguro – texto, áudio, vídeo ou foto. Através dessa função, as evidências registadas podem ser importantes no desenvolvimento de futuros processos judiciais.

Portugal será um dos primeiros mercados a ter esta aplicação, que estará disponível nos próximos meses. A Bright Sky no Reino Unido – disponível desde abril de 2018 – é uma aplicação de sucesso, tendo sido descarregada mais de 10 mil vezes.

LÊ TAMBÉM: “POBREZA DO PERÍODO” VAI SER COMBATIDA NO REINO UNIDO

De dentro para fora

A empresa vai também criar medidas de apoio às vítimas que são suas colaboradoras. Neste sentido, a nova política de recursos humanos dá aos colaboradores acesso a um programa de apoio e aconselhamento especializado, e uma licença remunerada até 10 dias, independentemente da parte do globo onde se encontram, abrangendo os 25 países onde o Grupo Vodafone marca presença.

São “mais duas” iniciativas que podem significar menos milhares de vítimas. Juntam-se a outras causas apoiadas pelo Grupo Vodafone, como a igualdade de género. Exemplo disso é o maior programa mundial de recrutamento para mulheres em interrupção de carreira – o ReConnect – posto em prática pelo Grupo em vários países.