De entre as estreias desta semana, não vais querer perder Captain Marvel. Brie Larson protagoniza o primeiro filme do universo Marvel com uma super-heroína no papel principal.

Nos anos 90, uma guerra galática entre raças alienígenas atinge a terra. Carol Danvers (Larson) e um grupo de aliados vêem-se no centro do acontecimento. No combate, Danvers é atingida por uma força extra-terrestre que lhe dá poderes especiais. Assim, esta torna-se uma das heroínas mais poderosas do mundo.

Captain Marvel é o vigésimo-primeiro capítulo do universo Marvel, que começou em 2008 com Homem de Ferro. Dos seus antecessores, só Homem Formiga e a Vespa (2018) têm uma super-heroína. Ainda assim, a Captain Marvel tem um papel fulcral: criar a famosa equipa de Vingadores. O filme antecede já o papel que Carol Danvers terá em Avengers: Endgame, que estreia já em maio.

Para o papel, Larson, que se auto-intitula “uma introvertida com asma“, treinou durante nove meses. “Pensava que era o que tinha de fazer. Não sabia que a maior parte das pessoas não faz os seus stunts.” Só no fim de filmar a primeira sequência de ação é que os produtores lhe explicaram que não precisava de as fazer. Ainda assim, Larson defende que foi uma oportunidade para “estar em contacto com o seu corpo como nunca tinha estado antes.” 

Lê também: X-MEN PODEM JUNTAR-SE AO UNIVERSO CINEMÁTICO DA MARVEL EM 2019
captain marvel

Fonte: Distribuição/NOS Audiovisuais

É de referir que esta é o primeiro filme Marvel com banda sonora de autoria de uma mulher. Em entrevista à Variety, a compositora Pinar Toprak esclarece que isto não deve ser visto como um feito extraordinário. “Nunca se perguntou a um homem, ‘acha que conseguiu este trabalho num filme de ação por causa do seu género?’. Espero que essa questão não volte a ser colocada (…). Isto vai ser a norma.” 

Também Larson se pronunciou acerca do assunto. À Collider, a atriz diz que “não quer” que este papel traga um sentimento diferente. “Estou farta do ‘primeira mulher a blá, blá, blá. (…) Quanto mais falamos disso, mais perpetuamos o mito que é uma missão impossível. Não é. Se antes parecia que era, é porque estávamos errados. (…) Agora estamos só a fazer o que é natural.”

O filme foi realizador pela dupla indie Anna Boden e Ryan Fleck (A Febre do Mississipi, É Uma Espécie de…Comédia). Além de Larson, o elenco contra com nomes sonantes como Annette Bening, Jude Law e Samuel L. Jackson. Jackson interpreta uma versão mais nova de Nick Fury do que em capítulos anteriores. Matt Maytum da Total Films, defende que este “é o melhor exemplo de rejuvenescimento artificial visto em filmes até hoje.”

O filme já está em exibição nas salas de cinema nacionais.