Todos os anos a data é assinalada no calendário. Dia 8 de março é o dia mais feminino do ano e celebra-se não só a mulher como todas as suas conquistas. Este ano #BalanceForBetter é a mensagem que se quer transmitir.

Equilíbrio. É este o objetivo pelo qual cada vez mais mulheres lutam nos dias de hoje. Querem igualdade de género e marcar positivamente a vida das mulheres em todo o mundo.

Se até hoje as mulheres conseguiram progressos ao nível social, económico, cultural e político enfrentando tudo e todos – incluindo os homens – agora querem transformar aquilo que tem sido uma luta pela igualdade de género – #BattleForBalance – num equilíbrio por algo melhor de onde nasce o #BalanceForBetter.

Um dos casos onde as condições de trabalho tentam igualar as oportunidades para homens e mulher é na Telstra, a maior companhia australiana de telecomunicações.

Além de ser um dos principais empregadores de mulheres – que ocupam proporcionalmente cargos executivos, de gestão e de trabalho geral – tem controlado as desigualdades salariais entre homens e mulheres ao longo dos anos.

LÊ TAMBÉM: PREGO DA PEIXARIA DEIXOU DE USAR (OFICIALMENTE) PALHINHAS DE PLÁSTICO

Fora do horário laboral, a empresa também se empenha em reconhecer o papel da mulher na comunidade. A Telstra está por detrás dos Prémios de Mulheres de Negócios e do Programa Conexões Seguras que apoia mulheres que sofrem de violência doméstica e familiar.

Também a Siemens – importante marca na área de electrificação, automação, digitalização e das tecnologias economizadoras de recursos e energia – apoia a hashtag #BalanceForBetter. É através do Twitter que a empresa assinala o Dia Internacional da Mulher.

No Instagram #BalanceForBetter conta já com mais de 16 mil publicações.

O objetivo da campanha é não só celebrar o Dia Internacional da Mulher, como também de continuar a tentar alcançar a igualdade de género no que diz respeito à vida laboral e social.

Depois de em muitos casos se ter atingido uma justa proporção de mulheres nas empresas ou na vida política, o próximo passo é alcançar a igualdade de oportunidades na economia, nas empresas, na vida social e nos media.