Após quase 12 anos de desaparecimento, a Netflix prepara-se para retomar o caso de Madeleine McCann sob a forma de documentário. A produção, que irá incluir testemunhos inéditos, promete ser o próximo grande sucesso da plataforma, tendo contado com um orçamento de, aproximadamente, 24 milhões de euros.

Todavia, o novo projeto gerou alguma controvérsia face à reação negativa dos pais de Madeleine, Kate e Gerry. “Não queremos ter nada a ver com isso”, afirma um representante e amigo da família McCann, no seguimento de inúmeras tentativas de contacto por parte da produtora Pulse Films.

Uma fonte próxima dos realizadores explica ao jornal Daily Mail a razão por trás desta estranha atitude:

“Teríamos gostado de trabalhar diretamente com os McCann, mas eles informaram-nos que não podem, nem querem participar, visto que a investigação policial sobre o desaparecimento da sua filha ainda está a decorrer”.

O que aconteceu na noite de 3 de maio de 2007?

De facto, o envolvimento dos McCanns neste alegado rapto sempre se revelou inconclusivo e bastante misterioso. Madeleine McCann desapareceu a 3 de maio de 2007 num resort perto da Praia da Luz, na região do Algarve. O crime ocorreu na ausência do casal que se encontrava a jantar a alguns metros de distância, enquanto a menina, juntamente com os irmãos Amelie e Sean, dormia no respetivo apartamento.

Madeleine McCann aos 4 anos de idade. Fonte: Getty Images

Ainda que tenham sido identificados vários suspeitos, o testemunho mais avassalador pertence ao detetive Gonçalo Amaral, autor do livro Maddie – A verdade da mentira sobre o desaparecimento de Madeleine.

Amaral acusa Kate e Gerry de fingirem o rapto, depois da criança ter morrido horas antes, devido à negligência dos progenitores. Tal hipótese nunca foi confirmada, apesar de, segundo o detetive, inúmeras “pontas soltas” corroborarem a teoria.

A longa-metragem irá contar com o depoimento de Gonçalo, algo comentado pelo representante dos McCann: “A família entende que o senhor Amaral e a polícia portuguesa foram convidados a participar. Os seus advogados irão estar atentos a potencial material calunioso”.

Gonçalo Amaral na apresentação do livro ‘Maddie- A verdade da Mentira’. Fonte: Notícias ao Minuto

A produtora acredita que, por fim, poderá “trazer justiça a esta história inacreditavelmente trágica”, explorando a fundo o tema. O filme, ainda sem título, será dividido em várias partes e irá apresentar os resultados de sucessivas viagens ao local do crime. Várias perspetivas serão abordadas, com o auxílio de figuras chave no caso e de jornalistas que cobriram o acontecimento desde o início.

A Netflix já desenvolveu projetos semelhantes, na sua maioria aclamados pela crítica, como Casting JonBenet, documentário que incide sobre o assassinato de JonBenet Ramsey, uma famosa concorrente de concursos de beleza, aos 6 anos de idade.