São oito e uma delas vai representar Portugal em Telavive. Algumas conheces tão bem que quase fazem parte da mobília lá de casa, e outras só passaram a existir para ti desde que se apresentaram ao Festival da Canção.

Estas são as oito vozes que chegaram à final da edição de 2019 do Festival da Canção, e os temas que vão levar pelo menos até à arena de Portimão. Conhece melhor os intérpretes das canções a concurso este sábado:

Matay

Ruben Matay é cantor, integra a banda de Dengaz e o Soul Gospel Project. A escolha de Tiago Machado tem também uma forte carreira a solo com raízes na música gospel  e soul. O seu single de estreia, O Que Tu Dás, tem já mais de 11 milhões de visualizações no YouTube. Recentemente, colaborou com Boss AC, que assina também a sua canção no Festival, em Por Favor (Diz-me).

Conan Osíris

Conan Osíris, nome artístico de Tiago Miranda, estreou-se na música em 2016 com o álbum Música Normal. No final do ano seguinte, lançou Adoro Bolos, considerado o segundo melhor álbum de 2018 pela BLITZ e o melhor álbum nacional do ano pelo Espalha-Factos. O artista é quem compõe e produz as suas canções e estreia-se no Festival da Canção simultaneamente como compositor e intérprete.

Calema

António e Fradique Ferreira são irmãos e formam os Calema. Originários de São Tomé e Príncipe, lançaram o seu primeiro álbum de originais, Bomu Kêlê, em 2015. O segundo álbum, A Nossa Vez, surge em 2017 e segue-se uma digressão nacional e internacional, passando por Cabo Verde, Luxemburgo e Reino Unido. Estreiam-se no Festival da Canção enquanto compositores e intérpretes da sua canção.

Ana Cláudia

Ana Cláudia é de Lisboa, tem formação em estudos artísticos e musicais e já lançou música em nome próprio. É licenciada em Jazz pela Escola Superior de Música de Lisboa e tem o Curso Profissional de Artes e Animação Circense do Chapitô.

Estreou-se no mundo da música profissional em 2005 no grupo Tucanas. Com este grupo de percussão no feminino editou Maria Café, em 2008. O primeiro EP em nome próprio, De Outono, foi editado em 2014. Com ele passou por palcos como o do Vodafone MexefestMusicbox e Casa Independente.

NBC

NBC tem 45 anos e origens em São Tomé e Príncipe. O seu nome artístico origina de um rei bíblico, Nabucodonosor e é a sigla para Natural Black Color.

Associado ao hip-hop, o músico alargou os seus horizontes e demonstrou elementos de funk e soul nas suas obras. Conta com vários discos libertados, sendo o mais recente intitulado de Toda a Gente Pode Ser Tudo.

Surma

Surma tem 22 anos e nasceu em Leiria. O seu nome advém de um documentário sobre uma tribo que viu na televisão, ao acaso.

Antwerpen, lançado em 2017, foi bem recebido e deu mais reconhecimento à artista. O estilo característico da cantora engloba vários géneros musicais, desde o rock à eletrónica, criando sensações psicadélicas.

Compôs e interpreta o tema Pugna para o Festival da Canção 2019.

Madrepaz

O grupo de quatro elementos foi formado pouco a pouco. Originalmente, Pedro da Rosa e Canina começaram juntos numa banda.

Mais tarde, Ricardo Amaral juntou-se ao grupo e, após algum tempo juntos, começaram a  desenvolver um disco. Com a adição de João Barreiros, o quarteto ficou completo e libertou o álbum Panoramix.

Frankie Chavez convidou o conjunto para interpretarem o tema Mundo a Mudar.

Mariana Bragada

Mariana Bragada é natural de Bragança e tem apenas 21 anos. Foi a artista selecionada através do programa MasterClass.

Conhecida como Meta no mundo artístico, a cantora começou a escrever músicas aos 16 anos. Tendo por base a guitarra, a sua obra incorpora melodias da Loopstation.

Compôs e interpreta a música que leva a concurso neste Festival da Canção.