Os Black Bombaim estão de volta, e regressam com um disco na manga. O trio de Barcelos de rock psicadélico lançou esta quarta-feira , 27 de fevereiro, o seu quinto registo: uma colaboração com três grandes nomes do experimentalismo português.

Dois anos depois da colaboração com Peter Brötzmann, a banda quis (de)construir-se e quebrar as barreiras formais da composição. Com esta ideia na cabeça, surge o desafio lançado a Jonathan Saldanha (HHY & The Macumbas), Pedro Augusto (Ghuna X) e Luís Fernandes (peixe:avião): serem eles a compor uma peça para os Black Bombaim e a interpretá-la com a banda.

Assim, surge Black Bombaim w/ Luís Fernandes, Jonathan Saldanha e Pedro Augusto– um longo nome para definir uma dimensão exploratória sonora, onde tudo pareceu novo. E, se é novo, é para memória, daí este processo ter culminado, não só num disco, mas na edição de um documentário, também.

Os barcelenses que têm música para narrar as imagens do mundo

Com a realização de Miguel Figueiras e argumento de Manuel Neto, o documentário evocará as três fases primordiais de evolução da humanidade. São estas o Mundo, Ruína e Memória e Espaço Sideral.

A longa-metragem tem data de lançamento apontada para o segundo semestre de 2019.

Relativamente a concertos, os Black Bombaim já têm datas confirmadas até abril:

  • Salão Brazil, Coimbra (8 de Março)
  • ZDB, Lisboa (9 de Março)
  • Bang Venue, Torres Vedras (16 de Março)
  • GrETUA, Aveiro (30 de Março)
  • gnration, Braga (18 de Abril).