Fotografia: Pexels

Portugal diz não definitivo ao plástico

Nos últimos anos a discussão sobre o plástico tem sido um tema que tem ocupado as agendas políticas de vários países, incluindo Portugal.

A 25 de Janeiro, João Matos Fernandes, Ministro do Ambiente, prometeu que Portugal estaria plastic-free até ao ano de 2021, no entanto esta realidade poderá mesmo ser atingida em janeiro de 2020. Artigos como pratos e talheres de plástico, cotonetes e palhetas para café vão deixar de ter lugar nas prateleiras dos supermercados e também noutros espaços públicos, como restaurantes e escolas.

Fonte: Kakuko/Pixabay

Contudo, também marcas como a Nestlé, por exemplo, querem também usar apenas materiais recicláveis ou reutilizáveis até 2025.

De acordo com o Ministro do Ambiente, em entrevista ao jornal Público, “A indústria já teria que o fazer. O que estamos a dizer é que vamos antecipar no mínimo em seis meses, talvez um ano.”

Esta diretiva, conhecida como Diretiva de Plásticos de Uso Único,tem também como objetivo eliminar os sacos de plástico oxo-degradáveis que, apesar do nome, não se degradam facilmente.

Estes produtos contém microplásticos que são facilmente absorvidos pelo meio-ambiente e, consequentemente, bastante difíceis de remover, segundo um estudo levado a cabo pelo Departamento do Ambiente do Reino Unido. Deste modo, os super e hipermercados passarão a vender sacos feitos com plástico mais resistentes- com uma espessura de 50 microgramas- que passarão a ser também mais caros, apelando assim à utilização de sacos reutilizáveis.

LÊ TAMBÉM: REDUZIR O PLÁSTICO: DEZ FORMAS E PRODUTOS ALTERNATIVOS

Para reforçar ainda mais esta luta contra o plástico em Portugal, o ministro João Matos Fernandes acrescenta ainda que irão ser  50 equipamentos em todo o País para depósito de embalagens como garrafas de plástico e latas de alumínio, até janeiro de 2021, sendo que a ideia é que cada utilizador receba um vale de desconto por cada embalagem e garrafa entregue.

Neste sentido, é também importante dar destaque a movimentos nacionais que se têm destacado nesta batalha, tais como a Zero Waste Portugal, uma organização portuguesa que luta não só contra o plástico, mas também contra a poluição nas ruas e praias portuguesas, querendo criar uma comunidade zero wasters.

O movimento foi criado em 2016 por Ana Milhazes, inspirado e tem como base o estilo de vida desperdício zero, assente num conjunto de práticas (5 Rs) destinadas a evitar o desperdício o máximo possível no nosso dia-a-dia:

  1. Recusar aquilo que não necessitamos (Refuse)
  2. Reduzir o que necessitamos (Reduce)
  3. Reutilizar aquilo que consumimos (Reuse)
  4. Reciclar aquilo que não conseguimos recusar, reduzir ou reutilizar (Recycle)
  5. Fazer compostagem (Rot)

A organização dedica-se a tornar Portugal um país 100% livre de plástico e que passe a ser ainda mais adepto de produtos reutilizáveis, fazendo recolhas de lixo em praias e outros locais, e apresentando soluções reutilizáveis que podemos substituir por plástico, como palhinhas de palha, por exemplo.

 

 

 

 

Mais Artigos
Go_A, com a canção Shum, representam a Ucrânia na Eurovisão 2021
Eurovisão 2021: Vocalista da Ucrânia entra em isolamento profilático