Ao longo da História, o amor foi tema central de obras que se transformaram em verdadeiros ícones da literatura. Mas nem todas terminam com “e viveram felizes para sempre”. A propósito do Dia de São Valentim, o Espalha-Factos percorreu o vasto leque de histórias de amor (ou desamor) e recorda alguns dos casais mais disfuncionais de todos os tempos.

Confere abaixo a lista com cinco romances, cujos protagonistas mostram a real dimensão do amor.

Daisy e Tom Buchanan (O Grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald)

Considerado obra-prima de F. Scott FitzgeraldO Grande Gatsby evoca o frenesim dos loucos anos 20 nos EUA, marcados pelo consumismo, inconsciência e futilidade. O livro narra a história de amor de Daisy Buchanan, uma bela jovem de Louisville, e Jay Gatsby, um misterioso milionário que a deseja obsessivamente.

Por muito avassalador que nos pareça o romance entre os dois, não podemos ignorar o facto de Daisy ser casada com outro homem, também ele adúltero. Desde as primeiras páginas do livro de F. Scott Fitzgerald, Daisy e Tom Buchanan encarnam o típico casal que, pelo seu egoísmo, ganância e traição, se merece mutuamente e, por isso, não pode deixar de ser incluído na lista dos casais mais disfuncionais da literatura.

Em 2013, as personagens marcantes criadas por F. Scott Fitzgerald na década de 1920 ganharam uma nova vida no grande ecrã, com Leonardo DiCaprio (Jay Gatsby), Carey Mulligan (Daisy Buchanan) e Joel Edgerton (Tom Buchanan) nos papéis principais.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=nIewKn6EnAs]

Charlotte Haze e Humbert Humbert (Lolita, de Vladimir Nabokov)

Por falar em casais desavindos, poucos o serão como Charlotte Haze e Humbert Humbert de Lolita, o romance mais célebre e contraditório de Vladimir Nabokov. Humbert Humbert é um professor universitário de meia-idade com uma paixão perversa por Lolita, filha de 12 anos de Charlotte Haze.

Desde logo, o seu casamento foi fruto de motivações não convencionais, que acabariam por arruinar a vida das pessoas ao seu redor. Charlotte, por sua vez, idolatrava o marido e só se apercebeu da pedofilia ao descobrir o seu diário. Para além do desfecho trágico – morte de Charlotte Haze e aprisionamento de Humbert Humbert – , o casal fictício de Vladimir Nabokov tinha tudo para dar errado.

O romance já foi adaptado para o cinema duas vezes. A primeira em 1962 numa fita realizada por Kubrick e mais tarde em 1997, onde Jeremy IronsMelanie Griffith deram vida ao infame casal.

April e Frank Wheeler (Revolutionary Road, de Richard Yates)

April e Frank Wheeler, os protagonistas do romance de estreia de Richard Yates, aparentam ser um casal jovem e promissor. Têm dois filhos e levam uma vida confortável num subúrbio próspero de Connecticut. No entanto, a aparência de bem-estar é apenas uma fachada para a frustração que sentem em relação às suas vidas, ao ponto de entrarem num ciclo contínuo de brigas, ciúmes e recriminações mútuas.

Mais de 50 anos depois da primeira publicação, Revolutionary Road ainda constitui o retrato fiel de casais que não se sentem felizes ou realizados, perdem a chama, acabando por se destruir a si próprios.

No grande ecrã, Revolucionary Road marcou o reencontro de Leonardo Dicaprio e Kate Winslet que voltaram a contracenar depois de Titanic.

 

 

Foto: Fnac

Camilla e Charles (A História Secreta, de Donna Tartt)

Publicado em 1992, o romance de estreia de Donna Tartt surpreendeu pelas suas personagens não convencionais: um grupo de estudantes inteligentes, mas excêntricos, que desafiam a normalidade moral. De entre os protagonistas de A História Secreta, sobressaem Camilla e Charles, irmãos gémeos incestuosos. Se isso não fosse mau o suficiente, ela está apaixonada por outra pessoa, motivo que o leva a beber de uma forma compulsiva.

Amy e Nick Dunne (Em Parte Incerta, de Gillian Flynn)

Amy e Nick Dunne são o casal sensação que lidera a lista de casais mais disfuncionais da literatura, pelas piores razões. O que une o casal de protagonistas do romance Em Parte Incerta de Gillian Flynn é a instabilidade psicológica de cada um que dá origem a uma relação turbulenta, sustentada em mentiras.

Enquanto Nick trai a mulher com uma aluna, Amy inventa uma gravidez, um diário falso e uma cena de assassinato para condenar o marido pelo seu assassinato. O romance que aparenta ser um conto de fadas, rapidamente se transforma num pesadelo em que cada uma das partes tenta levar a melhor sobre a outra.

Mas o mais surpreendente é que apesar da amargura e instabilidade de Amy e da distância emocional de Nick, ambos se convencem de que nunca serão capazes de encontrar uma cara metade igual, o que acrescenta uma pitada de romantismo à sua relação.

Ben Affleck e Rosamund Pike deram vida ao casal na adaptação cinematográfica de David Fincher em 2014.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=2-_-1nJf8Vg]