Com o aproximar da hora do concerto (22h), já a sala dois do Hard Club está bem preenchida. De miúdos a graúdos ninguém escapa à febre Xutos & Pontapés. Vestidos a rigor, os fãs trazem consigo lenços, faixas, cartazes, cachecóis e t-shirts alusivas à banda. Os Xutos & Pontapés completam, este ano, 40 anos de carreira e, para festejar, lançaram novo álbum. Duro é o último trabalho da banda – que o apresentou, na sexta-feira (1), no Porto.

As 22h marcavam a ânsia e o entusiasmo do público por assistir ao espetáculo daquela que é uma banda intemporal. A família rockeira que acompanha a banda estava reunida no Hard Club. Os aplausos e ovações eram, já, inúmeros quando, finalmente, os Xutos & Pontapés subiram ao palco. Foi tempo de ouvir, pela voz de Tim, a música que dá nome ao álbum: Duro.

Com 40 anos de trabalho, os Xutos & Pontapés são uma das mais duradouras bandas portuguesas. Atravessaram gerações e muitos são os que decoraram as suas letras. Durante o concerto a vibração do público e empatia com a banda notou-se logo à partida.

Num concerto de apresentação do novo álbum, não ficaram esquecidos os grandes êxitos. Homem do Leme, Circo de Feras ou Não sou o único foram inegáveis sucessos. Porém, o público também se mostrou empenhado em acompanhar a banda nos novos temas. Houve, ainda, tempo para uma visita a Alepo, Fim do Mundo e Mar de Outono – temas de Duro.

LÊ TAMBÉM: OS XUTOS NÃO SÃO SÓ ‘A MINHA CASINHA’

Recordar uma saudade

Com mais de uma dezena de álbuns lançados, a banda resiste, já sem Zé Pedro. Ora, o concerto serviu, também, para o recordar e homenagear. “Como o Zé Pedro costumava dizer, vocês são a única razão de nós continuarmos aqui”, lembrou Tim ao público.

“Eu não sou daqui, mas vocês fazem sempre um gajo sentir-se em casa”, garantiu Carlão, depois de acompanhar Xutos em O Sangue da Cidade. A sua entrada foi mais que aplaudida e o antigo membro dos Da Weasel cantou ainda uma segunda música com a banda: Duelo ao Sol. “Nós somos todos vocês, nós somos todos Xutos”, despediu-se.

Já a aproximar-se do fim, À Minha Maneira, Dia de S. Receber e Sou Bom também marcaram presença no concerto. Mãos e telemóveis ao alto, inúmeros saltos e bateres de palmas acompanharam a banda na sua viagem. Por fim, era tempo de regressar a Minha Casinha. Houve, igualmente, espaço para Gui e Kalú descerem do palco e ficarem mais perto do público, para as tradicionais fotografias. E foi assim se revisitaram 40 anos de carreira de Xutos & Pontapés a dar no Duro.