A noite de sábado (2) teve carimbo da Think Music. O motivo era a apresentação de Inter-Missão, terceiro disco de Mike El Nite, que teve o público do Estúdio TimeOut nas suas mãos. De facto, em dias frios de inverno, um Dr. Bayard pode salvar a garganta. Aliás, o que é bom para a tosse? Um disco novo do rapper português com todos os convidados a que temos direito.

Inter-Missão viu a luz do mundo a 7 de dezembro, contudo só agora pudemos ver as oito músicas em ação. Carmen iniciou aquilo que seria uma noite de celebração da carreira de Mike, dos seus (recentemente feitos) 30 anos e das vicissitudes da vida. Rita Vian dá a voz a Carmen inesperadamente fazendo lembrar Amália Rodrigues.

A missão da intermissão entre o novo e o velho Mike El Nite

Cada música do disco complementa a próxima. Caixa Negra surge como o mote para o álbum e soa-nos a uma espécie de redenção do artista aos desafios que a vida lhe vai lançando. J-K acompanha Mike na sua jornada em queda livre até aterrar nos hits de O Justiceiro que o tornaram mito. O hino dos gamers (ou 2p, para quem conhece) entra em cena e leva-nos até Santa Maria, que foi entoada até o público não poder mais. Um dos convidados surpresa foi Nerve, que apareceu das sombras do backstage para se juntar a Mike El Nite em Funeral.

Voltamos da intermissão e somos sugados para a funky S.Q.N., no entanto a consagração dá-se com a mítica Dr. Bayard. Este tema já deu muito que falar e quase fez os tradicionais rebuçados renascer (atirando-os para a plateia até). Fínix MG fez as honras da casa, apesar de Sippinpurp não ter aparecido por estar doente (podia ter “largado um Bayard no seu copo”). As crises de tenra idade chegam cedo a Mike El Nite com L.Y.B.Y. (ou Last Year Being Young) onde o rapper regressa à juventude mesmo estando cada vez mais longe dela.

Além de músicas sobre rebuçados, o artista também dá conselhos aos motociclistas. Capacete parte duma experiência pessoal do músico e, pelo entusiasmo dos presentes no concerto, todos já estudaram a lição sobre os perigos da estrada. O pano cai com Arco-Íris (sem a presença de Catarina Boto), a forma mais virtuosa e apoteótica de terminar uma noite a la Think Music.

Abaixo já podes ver a fotogaleria do concerto:

Fotografias de Tiago Filipe