Depois da biografia de Lavrenti Béria, ex-dirigente da polícia política de Estaline, o jornalista José Milhazes regressa às livrarias com Os Blumthal.

O livro reconstitui a vida de Erich Sõerd e Leida Holm Blumthal, os avós de Siiri Milhazes, mulher do autor, que lutaram por uma sociedade melhor na Estónia e acabaram vítimas dos regimes totalitários do século XX.

Editado pela Oficina do Livro, recupera, com recurso aos arquivos e outras fontes, a dramática história do casal que participou ativamente na introdução da revolução comunista na Estónia.

Mas a luta pela mudança de dois jovens idealistas foi ultrapassada pelos tempos conturbados e violentos de totalitarismo nazi e, mais tarde, soviético.

Erich Sõerd morreu de fome durante o cerco militar das forças nazis à cidade de Leninegrado, atual São Petersburgo, durante a Segunda Guerra Mundial. Já Leida Holm Blumthal sobreviveu a dois campos de concentração e a um gulag, acabando por morrer na década de 1980.

“Não há neste livro uma única linha de ficção. Tratam-se de factos e vidas reais ligados à Estónia, um pequeno estão situado na costa do Mar Báltico, que se tornou independente da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas em 1991. A história deste minúsculo país é um exemplo da crueldade do comunismo e do nazismo, utopias monstruosas que dominaram o século XX. Infelizmente, a história pode repetir-se”, adianta em comunicado a editora que chancela a obra.

Foto: Divulgação

Lê também: Os livros a ler que inspiraram as séries do momento

Em entrevista ao Diário de Notícias, Siiri Milhazes, neta de Erich e Leida, confessou que devido à divisão ideológica na sua família, e tendo crescido na família materna – os nacionalistas estónios – não conhecia bem a avó comunista.

“Na realidade eu não a conhecia e não queria conhecer porque ela era a avó paterna e eu cresci na família materna, que estava totalmente contra estas ideias que ela defendia. Para mim ela era quase criminosa, ou era culpa dela que o comunismo veio para a História. Não digo que pensava mal dela, mas também não estava interessada em saber mais nada”, afirma.

Apesar da oposição inicial de Siiri à investigação encetada pelo marido, Os Blumthal, disponível nas livrarias portuguesas a partir desta quarta-feira (30), serviu para recuperar o passado da sua família que é transversal à sociedade estónia e outras ex-repúblicas soviéticas.