A produtora Warner Bros. fez, esta sexta-feira (26), um grande anúncio de calendário, que cobriu a revelação do próximo filme de Christopher Nolan. A estrear dia 17 de julho de 2020, o ainda secreto projeto do realizador terá distribuição em IMAX, tal como o seu último filme, Dunkirk (2017).

Como já referido, ainda não há informações sobre a próxima longa-metragem de Nolan, para além de que foi descrita como “um filme de evento“. Como é costume, o argumento deverá ser escrito pelo cineasta autor longe de olhos mais curiosos.

Sabe-se, no entanto, que julho é um bom mês para os filmes do realizador: da sua obra, só Batman – O Início (2005) (6 de junho) e Interstellar (2014) não saíram nessa altura, tendo o último tido como escolha o mês de novembro, sempre mais seguro quando se fala em prémios e festivais.

Vê também: O Cavaleiro das Trevas faz dez anos mas não envelhece

Desde Dunkirk que Christopher Nolan tem andado longe da cadeira de realizador. Entretanto, liderou o restauro do épico espacial de Stanley Kubrick2001: Odisseia no Espaço (1968), em 70mm, que foi exibido por vários cinemas dos Estados Unidos.

A confirmação da Warner Bros. foi ainda mais longe e sublinhou o interesse de Nolan em preservar uma variedade de formatos de filme. Durante o último Festival de Cannes, o realizador chegou mesmo a referir:

Filmes feitos de maneira análoga devem ser apresentados de forma análoga sempre que possível. Os filmes ainda se mantêm como a melhor analogia para a maneira como vemos. Para o que quero, acho-a a ferramenta mais imersiva e emocionalmente envolvente para mergulhar o público na história

A sua última longa-metragem, Dunkirk, foi um dos maiores sucessos da sua carreira. A obra sobre a Segunda Guerra Mundial arrecadou três Oscars, e valeu a Christopher Nolan a sua primeira nomeação para Melhor Realizador.