A seleção nacional espanhola para a Eurovisão, que define o artista e o tema que o país vai levar a Tel Aviv em maio, decorre já este domingo (20). Os finalistas estão decididos… Mas há eurodrama à volta dos favoritos para representar Espanha no certame.

Desde o ano passado, Espanha utiliza o conhecido formato de talentos Operación Triunfo (OT) para selecionar o representante do país no Festival Eurovisão da Canção. Depois do término do concurso e de selecionado um vencedor, os concorrentes continuam na academia para trabalhar em temas originais que podem ser levados à Eurovisão.

Este ano, o sistema utilizado foi o mesmo. Foram compostas 17 canções, mas apenas 10 avançaram para ser interpretadas ao vivo na gala decisiva deste domingo. Entre a dezena de temas, existem claros favoritos entre os fãs eurovisivos espanhóis. Muérdeme, de María Villar, é uma das grandes apostas dos seguidores para fazer voar as cores espanholas até Israel.

A canção de María não é a única favorita. Temas como La Clave, de Natalia Lacunza ou La Venda, de Miki Núñez, estão entre o top de preferidos para vencer a gala eurovisiva da OT.

Os favoritos não querem ir a Israel

No entanto, a seleção espanhola deste ano está envolta em polémica, uma situação que se repete anualmente no país vizinho. Alguns dos candidatos do concurso de talentos na corrida para representar Espanha na Eurovisão mostram pouca vontade de participar no certame, caso vençam a gala decisiva.

Ainda em dezembro, duas das atuais favoritas, MaríaNatalia, afirmaram em direto estarem desconfortáveis por existir a possibilidade de participarem na Eurovisão. Segundo as concorrentes, um dos principais problemas é a sede do festival, que caracterizam como “desafortunada“. María confirma que, se não fosse em Israel, a atitude perante a sua possível participação “seria muito mais aberta“.

Além da questão de Israel, os concorrentes que não querem participar não demostram muita vontade própria. María, a favorita, é ao mesmo tempo a mais desanimada. “Acredito que há colegas que tenham mais vontade [de participar],” afirmou em diversas ocasiões. Os que acompanham o programa, além de criticarem os temas por considerarem não ter qualidade suficiente para representar o país, consideram a atitude dos concorrentes negativa.

Existem ainda vídeos (já apagados) em que María e Natalia supostamente cantam para os seus fãs o tema de Miki, pedindo que votem no colega ao invés de votarem nelas. Vários meios noticiosos espanhóis afirmam que estas concorrentes, entre outros no lote de finalistas, apenas estão a participar nesta gala eurovisiva por obrigações contratuais.

Eurodrama ano após ano

A edição do ano passado da gala eurovisiva da Operación Triunfo também ficou marcada por alguma polémica quanto aos favoritos. Apesar de não existir um boicote por parte dos participantes, os vencedores não foram totalmente esperados pela maioria dos seguidores do concurso.

O tema Lo Malo, de Ana Guerra Aitana Ocaña, era o grande favorito à vitória, mas acabou por não vencer nem ficar em segundo lugar, sendo arrastado para a terceira posição. A vitória de Amaia Alfred, que representaram Espanha na Eurovisão em Lisboa com Tu Canción, foi alvo de críticas por parte dos espectadores, que acusaram a estação espanhola de manipular os votos para levar o casal ao certame.

Tu Canción acabou por ficar no 23.º lugar (de 26) na final do festival. Lo Malo, apesar de não ter sido a escolhida para representar o país, acabou por vingar nos tops espanhóis e tornou-se um dos maiores sucessos do verão.

Eurovisão

Amaia e Alfred representaram Espanha na Eurovisão 2018 com o tema ‘Tu Canción’. (Fotografia: GTRES)

A gala eurovisiva da Operación Triunfo vai para o ar este domingo (20), pelas 21h05 (hora de Lisboa) na TVE. A edição deste ano conta com convidados especiais, entre os quais Eleni Foureira, que ficou em segundo lugar na Eurovisão 2018 pelo Chipre.

Espalha-Factos está a acompanhar o maior certame de música do mundo a par e passo. Acompanha todas as novidades, sempre atualizadas, no nosso site. O Festival Eurovisão da Canção decorre a 14, 16 e 18 de maio de 2019 em Tel Aviv, Israel, depois da vitória de Netta em Lisboa.