Depois de renovadas, as Carpintarias de São Lázaro aparecem de cara lavada e querem ser um centro de cultura criativo na cidade de Lisboa, reabrindo ao público no dia 25 de Janeiro.

O renovado espaço conta agora com 1800 m2 divididos entre dois pisos e um rooftop, e traz consigo uma programação marca pela arte contemporânea nas áreas das Artes Visuais, Música, Teatro e Dança, Cinema e Gastronomia.

Segundo o comunicado do espaço, as Carpintarias de São Lázaro querem propor “a integração através da cultura” e ali fazer nascer “um novo espaço na cidade de Lisboa, onde a criatividade, inovação e o cruzamento multidisciplinar darão oportunidade à aproximação de pessoas, comunidades e conhecimento“.

O que vai acontecer nas Carpintarias de São Lázaro

Na inauguração do espaço renovado, no dia 25, estará patente a exposição Jeu
de 54 cartes, a mais recente série de trabalhos do artista português Jorge Molder Oumuamua, a obra de Jonas Runa, que se apresenta sob a forma de performance, com um fato de luz criado pelo artista em colaboração com a designer de moda Alexandra Moura.

No dia 26, junta-se à festa A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria que comemora o seu oitavo aniversário com uma performance, Cinema ao vivo, O Regresso à Mouraria com Sílvio Rosado e Tiago Pereira.

Já no dia 27, a artista em residência, Miriam Simum, convida o público para um Open Studio durante a tarde.

Carpintarias de São Lázaro

As Carpintarias de São Lázaro renovadas. Foto: Divulgação

Durante todo o fim de semana também podes tirar a barriga de misérias e experimentar a Cozinha dos Vizinhos, o resultado da colaboração do espaço com a Cozinha Popular da Mouraria, que tem como objectivo a integração e iteração com as comunidades locais vindas de vários países.

Com uma programação de cariz contemporâneo, este é um espaço de criação, de acolhimento e de apresentação de projectos multidisciplinares que pretende oferecer uma abordagem ambiciosa e de vanguarda à cidade“, pode ler-se no comunicado das Carpintarias de São Lázaro.

A localização do espaço, em pleno centro histórico, entre o Martim Moniz e o Campo Mártires da Pátria, permite-lhe interagir com as comunidades locais e com o seu património cultural.

Jeu de 54 Cartes, de Jorge Molder

A exposição de Jorge Molder que inaugurará a remodelação do espaço tem por base a estrutura típica do popular baralho de cartas francês, constituído por quatro naipes de treze cartas cada.

Jorge Molder

O artista Jorge Molder. Foto: Divulgação

O artista realizou uma série de fotografias com seis partes: cinquenta e duas imagens repartidas por quatro naipes (Caras, Mãos, Bocados, Espectros), mais dois Jokers e a fotografia de um Gabarito.

A exposição descreve-se como “um jogo que surge como uma actividade que nos incita a uma experiência heurística das coisas, que configura a possibilidade de abertura para tudo o que se desvia de convenções, categorias e estruturas de entendimento pré-estabelecidas“.

Podes consultar a programação completa do espaço e os seus horários aqui.

Lê também: ‘É Pró Menino e Prá Menina’, Uma Peça Sobre Questões de Género’