A produção pós-apocalíptica da Netflix foi realizada por Susanne Bier e é baseada no livro Bird Box – em Portugal é denominado Às Cegas – de Josh Malerman. Se achaste a adaptação cinematográfica da Netflix assustadora, prepara-te, porque o livro é ainda pior.

Susanne Bier, disse ao The Sun que optou por dar a ver aos espectadores um final esperançoso, por não estar interessada em ver “o público a sair do cinema, ou do seu próprio ecrã, com um ponto de vista completamente sombrio“.

Caso a tua memória precise de ser refrescada, e sim isto é obviamente um enorme spoiler – o final “esperançoso” de Bird Box vê Malorie, a personagem de Sandra Bullock, a chegar a um santuário com os seus filhos, onde encontram uma comunidade de refugiados cegos que conseguiram evitar uma vida brutal onde a única coisa que interessava era a sobrevivência. Antes que o ecrã escureça, o filme de Susanne Bier dá-nos a visão dos filhos de Malorie a brincar com as crianças cegas do santuário – finalmente desfrutando de uma vida sem o terror constante.

Bird Box das páginas de um livro para o ecrã da Netflix

No entanto, o filme da Netflix é baseado num romance original de Josh Malerman. Se é mais aterrorizante que o filme? Sim, e provavelmente muito, o suficiente para Bier ajustar o seu final, para não ser seriamente sombrio.

Fonte: Josh Malerman

The Sun conta-nos que a diferença no final original do romance está na perceção de que os refugiados do santuário se tinham cegado para conseguirem sobreviver. E é assim que Bier e Malerman se separam. Bier escolhe não evidenciar este detalhe, de modo a que o público contine a achar que a esperança supera a tragédia enquanto que Malerman escolhe dar a ler aos leitores a abordagem oposta, num mundo onde a sobrevivência esmaga qualquer resíduo de esperança num final feliz.

Eu não gostaria de fazer um filme apocalíptico que não tenha um final de esperança“, disse Bier ao The Sun. “E estou muito feliz. Imagine a pobre [Sandra] Bullock passar por tudo isso só para se deparar com aquela inconsolável frieza.

“Não se atreva a olhar, ou será tarde demais”

“Hitchcockiano… Um estudo poderoso do terror psicológico contemporâneo. Para todos aqueles que dizem que não há mais ideias originais no terror, Josh Malerman mostra que há algo de novo para contar.” São os elogios que a USA Today deixa ao escritor que se estreou com o seu romance Bird Box no mundo da escrita.

Josh Malerman não nos poupa a detalhes ao recriar o seu mundo pós-apocalítico aterrorizante, que explora a essência do medo na perfeição. A história que conta é a de uma mulher, com duas crianças que decide fugir, sonhando com uma vida em segurança, mas basta uma decisão errada e eles morrerão.

Cinco anos depois de a epidemia ter começado, os sobreviventes ainda se escondem, rastejando para dentro de abrigos, protegidos atrás de portas trancadas e janelas tapadas. Malorie e os seus filhos conseguiram sobreviver, mas eles já têm 4 anos e chegou a altura de procurar uma vida melhor, em segurança e sem medos. Apenas guiados pelo instinto e pela audição, de repente sentem que são seguidos, observados. Por quem ou pelo quê?

Fonte: Wook

“Um suspense inquietante que relembra as melhores histórias de Stephen King.” Pode ler-se na Wook, onde podes encontrar o livro responsável pelo filme Bird Box, por 17,69€.

Lê também: Antes Que o ‘Céu nos Caia em Cima das Cabeças’ Astérix Celebra 60 Anos com Novo Livro