É preciso andar vários anos para trás, seis para ser mais preciso, para encontrar uma semana em que a SIC tenha conseguido liderar audiências por cinco dias consecutivos. Aconteceu agora, a partir do momento em que Cristina Ferreira entrou em ação.

A estrela das manhãs nunca teve menos do que 35% de share, que foi o seu pior resultado, na quarta-feira. Esta sexta (11), chegou aos 37%, depois de ter registado 40,6% de quota de mercado na estreia, 41,6% no segundo dia e 36% na quinta-feira. Não há coincidências: Desde que Cristina arrancou, a SIC saltou para o primeiro lugar.

Derrocada da TVI começou em dezembro

Esta sexta-feira, o canal de Carnaxide marcou 19,7% de share, contra 17,7% da TVI. Nos primeiros onze dias do ano, a SIC triunfou em seis. A manter-se a tendência durante este fim-de-semana, o canal de Balsemão vai ficar mais próximo de atingir a proeza de ultrapassar a Quatro na média mensal. Neste momento, as contas saldam-se em 19,1% para a TVI contra 18,6% para a SIC.

Se Queluz ainda for a tempo de reagir e conseguir ganhar janeiro, alcançará o 150.º mês consecutivo na liderança das audiências. 150 meses são doze anos e meio. A última vez que a estação de Carnaxide chegou ao primeiro lugar nas contas mensais foi em 2006, quando era a casa do fenómeno Floribella e tinha os direitos do Mundial.

No entanto, a aproximação começou no mês passado. Em dezembro de 2018, a TVI começou a sentir-se acossada pela primeira vez em muito tempo. De acordo com os dados de audiência consolidados – que incluem a visualização de gravações nos sete dias seguintes à transmissão, o último mês do ano fechou com um placard apertado: 18,8% para o canal liderado por Bruno Santos, 17,9% para a equipa de Daniel Oliveira. De novembro para dezembro, a TVI recuou 1 ponto.

Uma sexta que resume a semana

Esta sexta-feira (11) pode mesmo servir de retrato da semana. Do lado da SIC, nove programas a registarem novos máximos. Do lado da TVI, até o Jornal das 8 se juntou aos formatos que foram a mínimos.

Carnaxide começou a ganhar balanço ainda antes de Cristina entrar ao serviço. A Edição da Manhã, transmitida em simultâneo com a SIC Notícias e habitualmente em terceiro lugar, marcou novo máximo de audiência e share: 0,7% e 13%, respetivamente. Ainda longe do Bom Dia Portugal (1,3% / 19,6%), mas já a ultrapassar o Diário da Manhã (0,7% / 10%), que registou o pior score de 2019.

A subida continuou. Alô Portugal, que ganhou vida própria para além da SIC Internacional, marcou um novo máximo: 1,4% de audiência média e 16,9% de share. Foi líder nos últimos 15 minutos e abriu caminho para o Programa da Cristina entrar a vencer. A apresentadora iniciou com um auditório de 1,8% de audiência média e, em 10 minutos, já tinha duplicado para 3,6. Fechou com 5,1% de audiência média e 37% de share, sem dar hipótese ao Você na TV! (2,8% / 20,4%).

O rolo compressor entrou assim em ação por volta das 10 da manhã e, esta sexta-feira, durou sem parar até às 15h40. Primeiro Jornal (6,8% / 30,5%) e Linha Aberta (4,6% / 26,5%) mantiveram-se longe do Jornal da Uma (5,5% / 24,2%) e de Ana Leal (3,1% / 16,4%).

Júlia voltou também a bater o recorde pessoal esta semana: 3,8% de audiência média e 19,3% de share. O melhor número de 2019, contra o pior share de A Tarde É Sua, que ficou com 15,2% de quota de mercado e uma audiência de 3%. Seguiram-se dois máximos na SIC: Avenida Brasil (5,8% / 18,8%) teve a maior audiência desde a estreia e Gabriela (7,7% / 22%) despediu-se com o melhor share do ano.

É preciso chegar ao horário das 19h para a SIC voltar a perder. Preço Certo (8,4% / 20,4%) mantém o primeiro lugar enquanto as privadas disputam a audiência interessada em formatos de dating. O Carro do Amor (7,6% / 18,2%) e First Dates (7,5% / 18%)  quase empatam.

Logotipo do programa O Carro do Amor, imagem de um carro cinzento num fundo cor de rosa com as palavras O Carro do Amor escritas a branco e vermelho

O Carro do Amor, novo programa da SIC

Nos jornalísticos das 20h, a SIC segurou a dianteira por muito pouco. O Jornal da Noite (9,3% / 19,9%) venceu, contra o pior Jornal das 8 deste ano. O informativo da TVI não foi além dos 8,9% de audiência média e 19,3% de share, pouco à frente do Telejornal da RTP1, que ficou com 8,4% de audiência média e 18,3% de share.

Ainda assim, é no horário nobre que há mais problemas para Daniel Oliveira resolver. A febre Cristina não evita que as novelas Alma e Coração (8,6% / 18,1%) e Vidas Opostas (6,2% / 16,8%) continuem a perder. No caso da primeira, com o pior resultado de 2019. Na TVI, a ficção nacional já teve maior sucesso, mas Valor da Vida (11,3% / 24%) e A Teia (8,2% / 22,2%) ainda conseguem dar conta do recado. Por enquanto.