A Writers Guild of America anunciou esta segunda-feira os nomeados em cinema para melhores argumentos do ano. Os prémios também abrangem as categorias de televisão, rádio, publicidade e videojogos.

Um denominador comum a unir todos os filmes que concorrem a Melhor Argumento Original é o facto dos seus realizadores também terem participado na escrita dos mesmos.

As distinções que a Writers Guild faz são indicadores do que pode acontecer na cerimónia dos Oscars, que estão a sensivelmente a mês e meio (24 fevereiro).

Nomeados a Melhor Argumento Original

Eight Grader, escrito e realizador por Bo Burnham, é a história da última semana de aulas de uma aluna do oitavo ano, Kayla Day (Elsie Fischer), que cria vídeos motivacionais, mas que também sofre de ansiedade social.

Green Book foi escrito por Peter Farrelly, que também realiza, Brian Currie e Nick Vallelonga, filho de Tony Vallelonga, personagem do filme interpretada por Viggo Mortensen que tem como missão ser o chauffer do pianista afro-americano Don Shirley (Mahershala Ali), quando este embarca numa tour pelo Sul dos Estados Unidos nos anos 60.

A Quiet Place, a terceira longa-metragem de John Krasinski, foi escrito em conjunto com Bryan Woods e Scott Beck, e segue uma família a tentar sobreviver num mundo pós-apocalíptico habitado por criaturas cegas mas que conseguem ouvir muito bem.

Roma é mais recente criação de Alfonso Cuarón, que além de ter realizador o filme, também escreveu o guião, coproduziu, filmou e editou. Passando quase por um filme autobiográfico, o enredo tem lugar no bairro de Roma, na Cidade do México, durante os anos tumultuosos de 1970 e 1971 e foca-se numa empregada doméstica que vive na casa da família onde trabalha.

Vice marca a segunda vez que Chrstian Bale trabalha com Adam McKay (a primeira foi em The Big Short, de 2015). Depois de Oliver Stone o ter feito com W., Adam McKay é o segundo a realizar (e escrever) um filme sobre Dick Cheney, vice-presidente na administração de George W. Bush.

Nomeados a Melhor Argumento Adaptado

A Star is Born marca a quinta vez que a história é escrita para cinema, depois da versão original ter sido lançada em 1937 e dos três remakes que se seguiram (1954, 1976 e 2013 – sendo o terceiro uma adaptação de Bollywood intitulada Aashiqui 2). A estreia de Bradley Cooper na realização e na escrita é sobre um estrela de rock com problemas de bebida (Cooper) que se apaixona por uma jovem cantora (Lady Gaga).

If Beale Street Could Talk marca o regresso de Barry Jenkins ao grande ecrã, depois de Moonlight (2016). O realizador baseou o argumento no livro homónimo de James Baldwin. No bairro de Harlem, em Nova Iorque, a jovem Tish Rivers (Kiki Lane) lida com a sua gravidez ao mesmo que, em conjunto com a sua família, tenta provar a inocência do seu noivo num crime.

Black Panther é uma adaptação de Ryan Coogler (também a cargo da realização) e Joe Robert Cole da personagem da banda desenhada da Marvel. Depois da morte do seu pai, T’Challa é coroado rei de Wakanda, mas é desafiado ao trono pelo seu primo Killmomger (Michael B. Jordan), que tem outros planos de governação.

Can You Ever Forgive Me? foi adaptado a cinema por Anne Carey, Amy Nauiokas e David Yarnell a partir das memórias de Lee Israel (interpretada por Melissa McCarthy), escritora que durante anos fabricou cartas de autores conhecidos já mortos.

BlacKkKlansman é uma adaptação que o realizador Spike Lee, Charlie Wachtel, David Rabinowitz e Kevin Willmoot fizeram das memórias de Ron Stallworth, que se tornou o primeiro polícia afro-americano no Departamento de Colorado Springs e que conseguiu infiltrar-se no Ku Klux Klan. No filme, Stallworth é interpretado por John David Washington.

Melhor Argumento de Documentário

Bathtubs Over Broadway segue o comediante Steve Young, escritor para os programas noturno de David Letterman, quando este se depara com o mundo dos Musicais Industriais, que são musicais organizados internamente somente para os empregados de uma empresa, como uma espécie de tarefe de teambuilding.

Fahrenheit 11/9 vê o realizador e escritor Michael Moore a tentar perceber como é que os Estados Unidos da América chegaram ao ponto de eleger Donald Trump como presidente. O documentário político não se centra só na eleição em si, focando-se também em eventos anteriores a 2016.

Generation Wealth foi a adaptação que Lauren Greenfield fez do seu livro e exposição fotográficas com o mesmo nome e que nos falam do desejo que as pessoas sentem pela riqueza, ao ponto de lhes comandar a vida.

In Search of Greatness contém entrevistas que Gabe Polsky fez a alguns atletas reconhecidos e que exploram a influência que a critividade tem na carreira dos melhores atletas do mundo.

 

 

A cerimónia de entrega dos prémios da Writers Guild of America acontece dia 17 de fevereiro