A estreia foi avassaladora, mas ao segundo dia, os números continuaram astronómicos. O Programa da Cristina aumentou mais a vantagem para a concorrência e levou atrás o resto da grelha da SIC, com seis programas a alcançarem novos máximos. Na TVI, o cenário foi inverso: nove dos formatos da estação de Queluz tiveram o pior resultado do ano.

Cristina Ferreira conquistou 6% de audiência média e 41,6% de share, subindo em um ponto percentual a quota de mercado. O resultado empurrou o Você na TV! para o pior registo do ano: 2,6% de audiência média e 19,1% de share. A Praça da Alegria, que recuperou ligeiramente face à ‘segunda-feira negra’ da estreia do novo programa da SIC, marcou 1,3% de audiência média e 9,2% de share.

Nos targets comerciais, especialmente importantes para o mercado publicitário, o matinal do terceiro canal conquistou 52,8% no segmento ABC 25-54 anos, 49,1% de share no ABCD 25-54 e 47,6% de quota de mercado em ABCD 15-54 anos*.

Os recordes da SIC

A SIC liderou as audiências diárias pelo segundo dia consecutivo e alargou a vantagem. Bateu a TVI por 21,3 contra 18,2% na quota diária. Uma distância de 3,1 pontos percentuais, contra a escassa margem de 1,5 pontos registada no dia anterior. A contribuir para o resultado esteve uma subida generalizada dos formatos do canal de Carnaxide.

Pela manhã, o Alô Portugal ficou acima da média habitual, com 1,2% de audiência média e 15,4% de share. Liderou mesmo durante os últimos 15 minutos de emissão. Seguiu-se o crescendo de Cristina, que voltou a terminar o programa com uma plateia de quase um milhão de pessoas.

E foi a apresentadora que abriu a porta para um novo máximo de share para o Primeiro Jornal. O formato de informação da SIC registou 31,2% de share e uma audiência média de 6,1%, deixando o concorrente Jornal da Uma a quase 10 pontos de distância, com 22% de share e uma audiência de 4,8%.

mar salgado

Conversa puxa conversa e Mar Salgado também segurou o primeiro lugar: 3,1% de audiência média e 20,8% de share – novo máximo anual na quota de mercado da reposição da telenovela. Nos primeiros 30 minutos, Júlia deixou a SIC descer ao segundo lugar, mas recuperou rapidamente e marcou também novos máximos de audiência e share: 3,5% e 19,2%, respetivamente. O concorrente A Tarde É Sua bateu mínimos: 3,1% de audiência média e 16,4% de share.

Já à entrada do fim da tarde, Avenida Brasil (5,6% / 18,2%) e Gabriela (6,9% / 19,2%) chegaram ao primeiro lugar, ultrapassando o programa de Cristina que ainda dá na TVI: Apanha se Puderes (5,8% / 17,3%).

Menos bem-sucedido foi O Carro do Amor (8,8% / 19,7%), que até venceu First Dates (8,1% / 18,2%), mas não teve cilindrada para derrotar o clássico Preço Certo, que chegou esta terça (8) aos melhores resultados de 2019: 9,6% de audiência média e 21,8% de share.

Novelas da TVI mantêm-se mais vistas

Se no daytime, a SIC conseguiu um forte domínio esta terça-feira, no horário nobre ainda não chegou ao primeiro lugar. Alma e Coração (10,3% / 22,1%) registou a melhor marca do ano, mas não teve pulmão suficiente para ultrapassar Valor da Vida (10,9% / 23,2%), que caiu para a pior audiência de 2019.

O mesmo aconteceu a Vidas Opostas (6,4% / 18,8%), que teve o melhor share do ano, mas continuou a perder para A Teia (8,1% / 23,7%).

Globo lidera no cabo

Se na televisão aberta houve alterações no ranking, no Cabo o dia também foi de mexidas. A Globo ultrapassou a CMTV e foi, esta terça, o canal mais visto da televisão paga. Em comunicado, a estação brasileira comemora o facto de ter tido uma audiência média diária de 56,6 mil espectadores, contra 52,7 do canal da Cofina.

paginas da vida - marta

Na mesma nota à imprensa, a Globo sublinha ter tido os quatro programas mais vistos do Cabo: o primeiro lugar ficou com Páginas da Vida, acompanhada por 179,4 mil espectadores, em seguida ficou Salve Jorge (174,3 mil espectadores), Flor do Caribe (156 mil espectadores) e O Tempo Não Para (155 mil espectadores).

Outras telenovelas, como Espelho da Vida, Malhação: Vidas Brasileiras, Rainha da Sucata e Malhação também surgem na tabela dos 22 programam mais vistos do cabo.

* Nos targets comerciais, as letras correspondem ao status socioeconómico A, B, C, D – Classe Alta, Média Alta, Média e Média Baixa.