O número de mulheres a realizarem os filmes mais lucrativos decresceu em 2018, conclui um estudo lançado esta quinta-feira. Dos filmes que estão no top 10 do ano, nenhum foi realizado por uma mulher.

Apesar da contratação de mulheres para os cargos de produtoras, produtoras executivas e editoras ter aumentado de 18% em 2017 para 20% em 2018, apenas 8% ocuparam o cargo de realizadoras nos 250 filmes mais lucrativos de 2018.

A percentagem de mulheres como realizadoras nos filmes do top 100 e top 500 também decresceu – as mulheres dirigiram apenas 4% das produções no top 100 (menos 4% em relação ao ano anterior) e 15% dos top 500 (diminuição de 3%). Estes são alguns resultados de um estudo conduzido por Martha M. Lauzen, investigadora do Center for the Study of Women in Television and Film da Universidade de San Diego.

De entre os mais rentáveis filmes de 2018 realizados por mulheres estão Uma Dobra no Tempode Ava DuVernay, e Blockersde Kay Cannon.

Uma Dobra no Tempo. Fonte: Reprodução/Revista Quem

Esse mesmo estudo mostra ainda que, comparativamente ao ano de 1998, a percentagem de realizadoras femininas decresceu, apesar do aumento do número de mulheres escritoras, produtoras executivas, produtoras e editoras. A conclusão a que o estudo chega é que os avanços de equilíbrio de género na participação nesta indústria nos últimos 20 anos têm sido insignificantes.

Os dez filmes mais lucrativos de 2018 foram:

  1. Vingadores: Guerra do Infinito (Anthony e Joe Russo)
  2. Venom (Ruben Fleischer);
  3. Pantera Negra (Ryan Coogler);
  4. Os Incríveis 2 (Brad Bird);
  5. Monstros Fantásticos: O Crime de Grindewald (David Yates);
  6. Missão: Impossível – Fallout (Christopher McQuarrie);
  7. Jurassic World: Reino Ameaçado (J.A. Bayona);
  8. Deadpool 2 (David Leitch);
  9. Bohemian Rhapsody (Bryan Singer);
  10. Aquaman (James Wan).