A tradição voltou a cumprir-se. Na sua 60.ª edição, o Natal dos Hospitais levou música e animação a hospitais de Lisboa e Porto, e a RTP1 voltou a ser presenteada com uma subida nas audiências, conseguindo mesmo ser o canal mais visto do dia.

A estação pública registou um share médio de 19,3%, superando a TVI e a SIC, que conseguiram 18,1% e 16,5% respectivamente. É o melhor resultado da RTP1 dos últimos seis meses, sendo superado apenas pelos máximos registados em junho durante o Mundial.

Com início pelas nove da manhã, o Natal dos Hospitais foi visto por uma média de 347 mil espectadores no bloco da manhã, equivalentes a 3,6% de audiência e 27,3% de share. Os dois talk shows dos canais privados começaram mais tarde, às 10 horas, mas perderam para o especial natalício da RTP.

Você na TV!, o habitual líder das manhãs, ficou em segundo lugar com 3,6% de audiência (346 mil espectadores) e 23,9% de share. Mais longe ficou Queridas Manhãs, que foi visto por 176 mil espectadores (1,8% / 12,2%).

O domínio da RTP1 foi ainda mais evidente na parte da tarde. No ar entre as 14h11 e as 19h58, a segunda parte de Natal dos Hospitais teve em média 673 mil espectadores, correspondentes a 6,9% de audiência e 26,9% de share.

O clássico de Natal mais antigo da televisão portuguesa foi líder durante quase toda a sua emissão, das 9h às 12h40 e das 14h11 às 20 horas. O primeiro canal tocou várias vezes nos 30% de share, uma das quais na reta final da transmissão. Às 19h49 a RTP1 registava o melhor minuto do dia, com 13,2% / 30,6%.

O Natal dos Hospitais teve também um impacto positivo noutros programas da RTP1, nomeadamente os noticiários. O Jornal da Tarde conseguiu o melhor share do ano: 24,7%, com uma audiência de 5,6% (540 mil espectadores). O Telejornal também esteve acima dos valores habituais e ascendeu ao top 5 de programas, com 869 mil espectadores (9,0% / 18,8%).

Sucesso entre os mais velhos

Como habitualmente, o público mais idoso foi o que mais aderiu ao Natal dos Hospitais. Na parte matinal, o maior share foi registado nos maiores de 75 anos, com uns esmagadores 45,5%. Seguiram-se os espectadores entre os 65 e aos 74 anos (34,5%), e os 55-64 anos (32%). O pior share registou-se nas crianças dos 4 aos 14, com 5,9% de quota de mercado.

A mesma tendência repetiu-se na parte da tarde, com os maiores de 75 a dar 46,2% de share ao Natal dos Hospitais, seguidos pelos 65-74 anos (37%) e pelos 55-64 (31%). No extremo oposto ficou o público dos 25 aos 34 anos, com 7,6% de share.

Houve também diferenças na adesão do público por regiões: de manhã o melhor share registou-se no Algarve (35,7%), enquanto os alentejanos mostravam menos interesse no programa (22,4%). Durante a tarde foi a região Centro que mais share deu à RTP1 (34,4%), enquanto na Grande Lisboa o programa se ficava pelos 19,1%.

A RTP1 esteve acima da sua média anual em todas as faixas etárias, mas foi sobretudo nos mais velhos que o crescimento se notou. O canal público registou a sua melhor marca nos maiores de 64 anos, com 33,1%, contra uma média anual de 21,8%. Também nos 55-64 anos houve uma subida significativa, com 21,4% de share face a uma média de 12,3%, assim como nos 45-54 anos (15,2%, contra 9,6% de média anual).