Tabacaria Fernando Pessoa

Casa Fernando Pessoa organiza tertúlia em torno do amor

A Casa Fernando Pessoa realiza, esta sexta-feira, uma tertúlia denominada por “Je suis Bovary”.

Numa altura em que as conversas são maioritariamente mediadas, a Casa Fernando Pessoa convida o público a participar num diálogo presencial, que se desenvolve em torno do amor.

Os escritores e poetas invocados para a tertúlia do amor

A tertúlia é mediada por Leonor Barata e Patrícia Portela, que invocam personalidades como Ovídio, Fernando Pessoa, Mariana Alcoforado, Alexandre O’Neill e Adélia Prado. A estes nomes juntam-se ainda Robert Musil, Mário Cesariny, Herberto Helder, Italo Calvino, Roland Barthes e Stendhal, dos quais vão ser lidas passagens de romances, confissões amorosas e diários proibidos.

Fernando Pessoa
Fonte: Pensador

O público presente é convidado a envolver-se na conversa e a falar, também ele, de amor.

Para Patrícia Portela esta conversa aborda o amor “na sua forma mais inocente e no entanto íntima”, sem pressa, sem preocupações “etárias ou éticas” e sem preconceitos, tomando, tal como diz a moderadora da reunião,  “todos os partidos, assumindo contradições, confundindo o que se sente quando tudo se sente com o que não se consegue sentir”.

“Je Suis Bovary“
Foto: Página oficial do Facebook da Casa Fernando Pessoa

O fim de um ciclo e o lançamento de um disco

Esta tertúlia coloca fim a um ciclo itinerante do projeto “Je suis Bovary”, que já foi apresentado no Museu Grão Vasco e no Teatro Viriato, em Viseu, e na II Feira do Livro do Instituto Camões, em Berlim.

No final do encontro realiza-se a sessão de lançamento de um Áudio-postal, em CD e Vinil, “Je Suis Bovary”, que resulta da união de várias “conversas ao vivo” realizadas ao longo de um ano. No disco constam também alguns sons do Workshop infantil “Todas as cartas de amor são ridículas”, realizado na Casa Fernando Pessoa. Este trabalho insere-se no projeto multimédia “Por amor!“.

Lê Também: Nova Série da RTP Mostra o Outro Lado de Eça de Queiroz
Mais Artigos
Regresso ao Futuro SIC
Opinião. ‘Regresso ao Futuro’ é um ótimo retorno ao passado