A Microsoft poderá descontinuar o Edge, o browser que desenvolveu para substituir o Internet Explorer, e substituí-lo por um baseado no Chromium. A informação é avançada (4) pelo site WindowsCentral.

O Edge foi o navegador que a Microsoft lançou em 2015 para substituir o Internet Explorer. Inicialmente disponível como uma versão de teste, o browser tinha vários problemas de performance e estabilidade, e acabou por não convencer os utilizadores.

Lê também: Waterfox é um browser baseado no Firefox que aposta na performance

Durante os três anos seguintes, a empresa de Redmond foi fazendo várias correções e atualizações, e inseriu várias funcionalidades como a sincronização entre dispositivos. Apesar das melhorias, as primeiras impressões sobre a aplicação terão sido mais fortes.

Isto traduziu-se numa percentagem de utilização abaixo dos 5% entre dezembro de 2017 e novembro deste ano (2018), de acordo com dados do NetMarketShare. No mesmo período, o Internet Explorer oscilou entre os 12,36% e os 9,64%.

Estatísticas de utilização do Edge e do Internet Explorer - browser

Estatísticas de utilização do Edge e do Internet Explorer. Dados do NetMarketShare.

O reduzido número de utilizadores será o motivo para que a aplicação seja descontinuada.

Lê também: EFSecurity: Como tornar o ‘browser’ mais seguro

Para fazer frente ao Google Chrome, atualmente o browser mais utilizado com uma quota de mercado superior a 60%, a Microsoft estará a preparar um novo navegador baseado no Chromium. O Chromium é a versão de código aberto do Chrome e a base do browser da Google. Ambos são desenvolvidos pela empresa sediada em Mountain View.

Este rumor ganhou força depois de terem sido identificados alguns commits (subsmissões de código), feitos por dois engenheiros da Microsoft, no repositório do Chromium.

Apesar de não haver ainda confirmação oficial por parte da Microsoft, é esperado que uma versão de teste do novo browser, com o nome de código Anaheim, seja disponibilizada na primeira metade de 2019.