Call of Duty, uma das franquias de videojogos mais populares de sempre, está a tentar dar o salto para o cinema há já alguns anos. A Activision está tão confiante no projeto que já está a planear uma sequela com um argumento redigido por Joe Robert Cole, co-autor de Pantera Negra.

No inicio do ano já tinha sido anunciado que o realizador da primeira adaptação de Call of Duty seria Stefano Sollima (Sicario: Guerra de Cartéis). O argumentista do mesmo é Kiera Fitzgerald (Snowden). Mas o estúdio quer ter um segundo filme preparado para o caso do primeiro ser um sucesso de bilheteira. O co-presidente Stacey Sher revelou querer uma alta variedade de filmes que poderiam percorrer diferentes épocas:

Nós planeámos vários anos… Juntámos este grupo de escritores para falar de onde estamos a ir. Haverá um filme mais semelhante a Black Ops, a história dentro da história.  A série Modern Warfare observa o que é lutar uma guerra quando os olhos do mundo estão sobre ti. E então talvez tenhamos algo que seja um híbrido, em que observamos operações privadas, secretas, enquanto operações publicas estão também a decorrer.

A estratégia da Activision parece estar a apontar para a criação de um universo cinemático semelhante ao da Marvel Studios. Se tudo correr como planeado, terão uma alta quantidade de filmes que se irão passar ao longo de diferentes guerras. Mas se o filme for um fracasso, o universo cinemático de Call of Duty terá de se juntar a outros universos cinemáticos abortados, como Dark Universe (iniciado por A Múmia), O Fantástico Homem-Aranha e Rei Artur: A Lenda da Espada.

Entretanto, Joe Robert Cole vai estar ocupado a desenvolver All Day and a Night, um filme original para a Netflix realizado por si e com um argumento da sua autoria.