Mais de 30 anos depois da publicação de The Handmaid’s Tale, a escritora Margaret Atwood vai voltar ao mundo que inspirou a série da Hulu com a sequela The Testaments.

O novo livro não estará ligado ao universo da série televisiva, que altera detalhes significativos do romance original e segue a sua própria história na segunda temporada. The Testaments será antes uma sequela do romance de 1985.

No Twitter, a autora revelou que a história do novo livro se passa 15 anos depois da última cena de Offred no romance original. As narradoras são 3 personagens femininas diferentes.

O final do livro é ambíguo. Acaba com a protagonista numa carrinha que a pode levar para fora de Gilead. Mas o epílogo é narrado por um professor do ano 2195, a argumentar que a veracidade da história de Offred é confirmada pela descoberta de uma série de cassetes no Maine.

Em comunicado, Atwood terá revelado que a nova obra era inspirada em tudo o que alguma lhe perguntaram “sobre Gilead e a forma como funciona”, mas também “pelo mundo em que estamos a viver”.

Embora tenha sido publicada em 1985, a obra de Margaret Atwood recuperou relevância mediática nos últimos tempos. A série da rede televisiva Hulu trouxe a história a uma nova geração. Mas foram os alagados paralelismos entre a distopia religiosa de Gilead e alguns desenvolvimentos políticos recentes que tornaram The Handmaid’s Tale num símbolo da luta pelos direitos das mulheres.

The Testaments será publicado em setembro de 2019. Até lá, é ir revendo as duas temporadas de The Handmaid’s Tale e aproveitar para reler o romance original. Em Portugal, está publicado como A história de uma serva.

LÊ TAMBÉM: NOVOS CONTOS ERÓTICOS DO VELHO TESTAMENTO CHEGAM, 15 ANOS DEPOIS, ÀS LIVRARIAS