Beautiful Boy estreia nas salas de cinema portuguesas a 29 de novembro. Inspirado na história verídica de David e Nic Sheff, o filme aborda a temática da toxicodependência de uma maneira diferente.

Em Beautiful Boy vemos os efeitos que a dependência das drogas tem na família do doente e o papel que o vício adquire nas dinâmicas da mesma. O peso de cada recaída e do amor incondicional de um pai para continuar a lutar pela reabilitação total do filho.

Como se Timothée Chalamet e Steve Carell não fossem motivos suficientes para ires ver o filme, o Espalha-Factos mostra-te algumas curiosidades sobre Beautiful Boy:

1- A primeira vez do realizador

Felix Van Groeningen é um realizador belga que até à data só realizou filmes em flamengo. O seu filme The Broken Circle Breakdown foi nomeado para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2014, e desde essa altura que Hollywood tinha os olhos postos em Van Groeningen.

Porém foi só quando se deparou com Beautiful Boy que o realizador achou que tinha chegado o momento de fazer o primeiro filme em inglês.

Felix van Groeninger com Steve Carell/ NOS Audiovisuais

Van Groeningen justifica a escolha pela forma como a história dos Sheff o fez sentir.

“A família deles acredita no amor incondicional e tem que lidar com o facto de que não existem respostas fáceis e que lidar com o vício é irracional. De certa forma fiquei intimidado por contar a história deles, mas senti que era urgente e necessário”, explica.

2- Dois livros, duas perspetivas

Beautiful Boy é baseado no livro homónimo do jornalista David Sheff mas também em Tweak, o livro escrito pelo seu filho Nic.

Os dois livros contam a forma como cada um deles viveu cada conquista e cada recaída. Curiosamente os livros foram escritos ao mesmo tempo sem que nenhum dos dois o soubesse.

Isto porque Nic começou a sua auto-biografia depois de um reabilitação sem sucesso, um período durante o qual esteve 18 meses afastado da família. Quando retomaram o contacto, pai e filho aperceberam-se de que estavam ambos a escrever um livro.

Felix van Groeninger com Chalament e Carell/NOS Audiovisuais

Conjugar as duas perspetivas foi um dos grandes desafios do filme, mas também o motivo pelo qual David deu o selo de aprovação ao projeto.

“Decidimos que o truque era ter uma das personagens a desaparecer por vezes, para que pudéssemos estar completamente imersos na vida da outra por um bocado (…) Por exemplo, vemos o Nic e vemos como recai. Com essa informação voltamos ao David e vemos como isso o afeta, e assim sucessivamente”, clarifica Van Groeningen.

3- Porquê Chalamet e Carell?

Encontrar dois atores que conseguissem transportar toda a carga emocional de Beautiful Boy para o grande ecrã era uma peça fundamental para que o filme resultasse.

Chalamet e Carell foram nomes indicados pela natureza camaleónica das suas carreiras. Bastou que lessem o guião juntos um vez para que se tornasse incontornável que iam protagonizar a fita lado a lado.

Chalamet e Carell / NOS Audiovisuais

O produtor Jeremy Kleiner diz que sentiu que a personagem David Sheff era perfeita para Steve Carell. “O David é um homem de família, algo que o Steve representa. A performance dele no filme é espantosa. Com cada bocadinho de diálogo, ele encontra uma série de emoções muito humanas”, justifica.

Lê também: TIMOTHÉE CHALAMET: OUVE, OBSERVA E REAGE, E NÓS FAZEMOS O MESMO

Já no caso de Chalamet é o produtor Dede Gardner que o enche de elogios. Gardner elogia a forma como se dá por completo nas suas performances, e vai ainda mais longe descrevendo Timothée como “um livro aberto a nível emocional”.

4- Amizade fora do ecrã

Van Groeningen quis conhecer a história de David e Nic a fundo, e perceber em primeira mão quem são, e como a toxicodependência marcou a relação desde pai e deste filho. Então, acabou por passar muito tempo com os Sheff.

O realizador foi convidado a passar uma temporada na casa da família e dividiu com eles todas as atividades do quotidiano.

Esta relação extravasou o profissionalismo e continua muito depois da rodagem de Beautiful Boy ter terminado. Agora, Nic vai ensinar Van Groeningen a surfar, algo que é muito importante para ele tal como vemos no filme.

5- Não há novos temas musicais no filme

Nos livros escritos por David e Nic há imensas referências a músicas que os marcaram durante a luta pela sobriedade. A ideia inicial era incluir apenas algumas destas músicas na película, e trazer um compositor que criasse novas faixas.

Porém, para manter a autenticidade da história dos Sheff, a equipa do filme decidiu que a banda sonora de Beautiful Boy seria composta apenas por músicas já existentes, e com significado para o pai e o filho que retratam.

Lê também: SAMPHA NA BANDA SONORA DE ‘BEAUTIFUL BOY’

Os géneros musicais variam imenso, indo de Territorial Pissing dos Nirvana a Svefn-g-englar dos islandeses Sigur Rós. A cereja no topo do bolo acaba por ser a canção que dá nome ao filme, Beautiful Boy de John Lennon.

Esta canção é muito importante para David porque entrevistou Lennon no início da sua carreira como jornalista. No filme, dá o mote a um dos momento mais emotivos do filme, no qual Steve Carell a canta.