O importante repórter Ryszard Kapuscinski é esta semana trazido do século XX até aos grandes ecrãs portugueses no formato animação 3D. A história do filme, escrita originalmente pelo jornalista polaco em livro, passa-se na Angola dos anos da Revolução de Abril de 1974.

Ryszard Kapuscinski, para além de ter exercido jornalismo imersivo considerado de alta qualidade, foi também poeta e fotógrafo. O autor chegou mesmo a ser considerado para o Prémio Nobel de Literatura, mas é realmente reconhecido pelas suas 27 reportagens a golpes e revoluções.

Através do seu trabalho, deixou-nos sintomas de controvérsia, por rearranjar o conceito de reportagem tradicional com a alegoria e o realismo mágico da literatura – corrente também seguida, por exemplo, por Gabriel García Márquez, que juntamente com outros autores considerou o polaco como “maestro”.

Durante o processo de descolonização, Kapuscinski era o único jornalista da Agência de Imprensa Polaca, regida então por ideais comunistas, em solo africano.

Mais um dia de vida tem ainda como cenário a sangrenta guerra civil que se seguiu no sentido de determinar quem governaria a nação libertada. A dupla Raúl de la Fuente e Damian Nenow, que também adaptam o conto do repórter, estreia-se assim no campo da realização cinematográfica.

Não é por isso, no entanto, que não se deva esperar deste trabalho conjunto uma boa obra: tanto de la Fuente [realizador, argumentista e cinematógrafo no documentário I Am Haiti (2014)] como Nenow [responsável pelos efeitos especiais de Final Fantasy XV: Kingsglaive: O Filme (2016)] têm uma experiência relativamente consistente nos campos criativo e técnico do cinema.

Para além disso, Mais um dia de vida conta com a prestação do também polaco Miroslaw Haniszewski no papel de Ryszard Kapuscinski. O ator participou em filmes como I’m a Killer (2016) ou General. Zamach na Gibraltarze (2009) ou na série televisiva Misja Afganistan (2012- ), produzida pelo Canal+ Polska.

Neste filme, vai ainda ser possível ouvir-se as línguas portuguesa, espanhola e polaca – cuidado muitas vezes ignorado nos filmes de guerra passados em lugares que não anglo-americanos.

Vê o trailer: