Thomas Ricks, escritor e jornalista norte-americano, pensou constantemente em Winston Churchill quando leu pela primeira vez a obra de George Orwell – 1984. Esta experiência deu origem à obra Churchill e Orwell – A Luta pela Liberdade, publicada agora, em Portugal, pela Edições 70.

Esta é uma história sobre duas personagens, que o jornalista vencedor do Prémio Pultizer considera “pessoas que em quem ainda pensamos, pessoas que foram importantes, não apenas para compreender os seus tempos, mas também para nós compreendermos os nossos”. A editora que chancela a obra promete que “vai interessar a todos os que se interessam pela política, e certamente, a todos os interessados nas vidas e obras de Orwell e Churchill”.

Mais sobre a obra

Churchill e Orwell

Fonte: Wook

Contemporâneos e ícones no combate contra quem se opunha à liberdade, são os dois protagonistas. Um foi o primeiro-ministro britânico que enfrentou a ameaça Nazi, Winston Churchill, e outro foi um dos escritores mais emblemáticos do século passado, George Orwell. Homens muito diferentes, mas segundo palavras do historiador Simon Schama “aliados muitíssimo improváveis” e “arquitetos do seu tempo”, pode ler-se em comunicado.

“Aliados muitíssimo improváveis” é a parte fácil de explicar. O político nascido no alto berço da sociedade inglesa, membro do gabinete do governo no reinado da rainha Vitória, politicamente alinhado com uma direita conservadora, imperialista e profundamente defensora do colonialismo britânico. E o escritor, oriundo da baixa classe média, conhecido militante de esquerda e anti-imperialista.

Churchill e Orwell

Fonte: Wikimedia Commons

A linha que o jornalista norte-americano traça entre Winston Churchill e George Orwell toca-se nas suas visões sobre a guerra, a política, a sociedade e o futuro, mas especialmente toca-se nas suas preocupações com a liberdade. O papel ativo dos dois na luta contra diferentes formas de opressão e a sua constante oposição àqueles que atentavam contra direitos, liberdades e garantias fundamentais também não é esquecido pelo autor.

Thomas Ricks procura demonstrar com o seu ensaio que ambos reconheceram a grande questão do século XX, como a luta pela liberdade individual quando era mais ameaçada do que nunca. O combate ao totalitarismo, à imposição de modos de pensar e o Estado a agigantar-se sobre a sua população.

Já podes encontrar a obra à venda na Wook por 20,61 euros.

O autor

Thomas Edwin Ricks, autor e jornalista norte-americano de 63 anos, é especialista em assuntos militares e um conhecido crítico das políticas do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, particularmente do seu efeito nos conflitos armados que causa no resto do mundo.

Churchill e Orwell

Fonte: página oficial de Thomas Edwin Ricks no Twitter

A adolescência viveu-a em Cabul, no Afeganistão, e licenciou-se na Universidade Yale em 1977. Durante 17 anos trabalhou como repórter do Wall Street Journalonde, em 2000, integrou a equipa que ganhou o Prémio Pulitzer com uma série de artigos sobre as mudanças necessárias ao setor militar dos Estados Unidos, tendo em vista as suas incursões no século XXI. Nesse mesmo ano o seu percurso levou-o para o Washington Post, onde fez parte de outra equipa que ganhou o Pulitzer em 2002, com um trabalho sobre o início da contraofensiva ao terrorismo.

Atualmente a sua lista de obras é extensa e reúne títulos como Fiasco: The American Military Adventure In Iraq (2006), The Generals: American Military Command from World War II to Today (2012) e o romance A Soldier’s Duty, que publicou em 2001.

A edição original de Churchill e Orwell – A Luta pela Liberdade (Churchill and Orwell: The Fight for Freedom, em inglês) foi publicada em maio de 2017. Chegou agora às livrarias portuguesas.

LÊ TAMBÉM: JOÃO TORDO DÁ AULA ABERTA NA NOVA FCSH ONDE EXPLICA O PROCESSO DA ESCRITA