Doce ou travessura? Vampiros ou zombies? Em vez do tradicional filme, que tal uma maratona de séries para celebrares o Halloween deste ano? Das séries que já são clássicos às mais recentes estreias, o Espalha-Factos fez uma seleção de algumas das séries mais obscuras da televisão para a noite mais assustadora do ano.

The X-Files (1993-)

Todos conhecemos a icónica música de The X-Files, ou não fosse esta uma das séries incontornáveis da ficção científica. Com 11 temporadas, tendo a mais recente estreado em 2018, a série inspirou outros grandes títulos do género como The Twilight Zone e Twin Peaks.

A história centra-se em dois agentes do FBI, Fox Mulder (David Duchovny) e Dana Scully (Gillian Anderson), que se dedicam à investigação de casos que envolvem atividade paranormal. Enquanto Mulder é um crente nos fenómenos sobrenaturais e vida alienígena, Scully é uma médica cética encarregue de analisar cientificamente as descobertas do parceiro.

Lê também: Quando o cinema e a ficção científica colidem: os filmes da década

Buffy: The Vampire Slayer (1996-2003)

Buffy: The Vampire Slayer foi uma das séries mais icónicas da viragem do milénio. A série acompanha a vida de Buffy Summers (Sarah Michelle Gellar), uma rapariga normal numa escola secundária normal… não fosse estar destinada a combater as trevas. Depois de se mudar para Los Angeles com a mãe, descobre que os seus dias como caçadora de vampiros não ficaram para trás como desejava. Com a ajuda dos amigos terá de combater o sobrenatural e salvar a sua cidade de ameaça atrás de ameaça.

Quando idealizou Buffy, Joss Whedon queria fugir à fórmula típica dos filmes de terror de Hollywood. Em vez da rapariguinha loira entra num beco escuro e é assassinada, criou uma protagonista heróica e corajosa que luta contra vampiros, demónios e outras forças do mal.

Buffy  é assim “a ideia de uma mulher que parece completamente insignificante mas que acaba por se revelar extraordinária”.

Com a sua narrativa que promove o girl power, Buffy foi um sucesso de audiências para a pequena e recém-formada WB Television Network. A série alcançou as sete temporadas e catapultou para o estrelato atores como Alyson Hannigan (mais conhecida como a Lily Aldrin de How I Met Your Mother) e David Boreanaz (o agente Booth em Bones). Inspirou ainda um spin-off (Angel), várias bandas-desenhadas e vídeo-jogos.

Lê também: Top 13: melhores episódios especiais de Halloween

The Walking Dead (2010-)

The Walking Dead tem demasiadas temporadas para binge watch. No entanto, com a série a chegar a nona temporada e Andrew Lincoln a abandonar o elenco, nada como regressar às origens e recordar como tudo começou.

Depois de tudo o que vimos os sobreviventes passarem nos últimos oito anos, parece que o primeiro episódio já foi noutra vida. Rick Grimes ainda era um polícia com o seu melhor amigo, Shane (Jon Bernthal), quando ficou em coma depois de ser baleado. Estava inconsciente quando o mundo acabou e teve de se adaptar rapidamente quando acordou sozinho para uma estranha realidade em que os mortos não ficam mortos.

American Horror Story (2011-)

American Horror Story é a série ideal para uma noite de binge watch. Com oito temporadas muito variadas que não têm ligação entre si, a série contempla uma panóplia de temas para todos os gostos.

Para os fãs dos temas de clássicos dos filmes de terror, Murder House (1.ª temporada) é ideal, acompanhando a vida de uma família que se muda para uma casa assombrada. Já Asylum (2ª temporada) joga com o imaginário potencialmente assustador de uma asilo para criminosos nos anos 60, e Freak Show viaja até aos anos 50, quando os freak shows (exibições de seres humanos com mutações genéticas ou defeitos físicos) eram populares. Por sua vez, a terceira temporada (Coven) segue um grupo de bruxas em Nova Orleães que lutam contra os que querem destruí-las.

Para os que preferem o tema da atividade paranormal, AHS oferece Hotel (5ª temporada) e Roanoke (6ª temporada). Já em Cult (7ª temporada), a série foca-se um culto que atormenta os habitantes de uma cidade do Michigan após as eleições presidenciais americanas de 2016. Por fim, a oitava temporada (Apocalypse) tem uma abordagem futurista e acompanha a vida num abrigo para sobreviventes do holocausto nuclear a nível mundial.

The Vampire Diaries (2009-2017)

Depois de oito longas temporadas e um spin-off  (The Originals), a história de Elena Gilbert (Nina Dobrev) chegou finalmente ao fim. Foram muitas as aventuras com vampiros, lobisomens, bruxas e outros seres paranormais.

Lê também: Top 5: os melhores episódios de ‘The Vampire Diaries’

Contudo, TVD começou exatamente como a maioria dos teen dramas: uma jovem normal que tinha um diário e se apaixonou pelo novo aluno do secundário, Stephen Salvatore (Paul Wesley). Claro que por essa altura estava longe de imaginar que o rapaz era um vampiro e que a sua relação seria assombrada pelo outro irmão Salvatore, Damon (Ian Somerhalder), igualmente atraente e também vampiro.

Lê também: Legacies: Sabe tudo sobre o novo spin-off de ‘The Vampire Diaries’ e ‘The Originals’

Dark (2017-)

Dark é uma das primeiras incursões da Netflix fora do universo das séries anglo-saxónicas . Passada numa pequena cidade da Alemanha onde pouco parece mudar, é o desaparecimento de uma criança que parece desencadear um ciclo de eventos que se repetem ao longo de três gerações de quatro famílias diferentes.

Com uma narrativa enigmática e uma preocupação estética excecional, a série alemã oferece todos os elementos para prender o espetador. Por enquanto a série tem apenas uma temporada, tornando-a perfeita para uma noite de binge watch. Contudo, o seu sucesso de audiência (sendo um dos “programas inteiramente não-ingleses mais vistos”) garantiu a renovação para uma segunda temporada, com estreia para 20 de dezembro de 2018.

Lê também: Quatro séries europeias da Netflix que tens (mesmo) de ver

The Haunting of Hill House (2018-)

De entre as mais recentes estreias, The Haunting of Hill House destaca-se como uma das mais aclamadas pela crítica. Baseada no livro homónimo, a série recebeu uma aprovação de 90% no Rotten Tomatoes e foi aclamada no The Telegraph como “a série de terror mais complexa e completa do seu tempo”.

A série acompanha o passado e presente de uma numerosa família que vive atormentada pelas memórias da mansão assombrada onde cresceu. Depois de experimentarem eventos paranormais e tragédias que os afastam de Hill House, uma nova desgraça reúne dois dos cinco irmãos e o pai, 26 anos depois, forçando-os a enfrentar o passado.

Lê também: Os livros assustadoramente perfeitos para ler no Halloween

Chilling Adventures of Sabrina (2018-)

Também entre as estreias mais recentes está Chilling Adventures of Sabrina. Dos mesmos produtores de Riverdale e também baseada nos Archie Comics, a série teve uma receção positiva pela crítica que elogiou particularmente a protagonista, Kiernan Shipka.

Sabrina, uma adolescente meio-humana meio-bruxa, vive entre dois mundos: a vida mortal dos seus amigos e a “Igreja da Noite”, o legado mágico da sua família. Com o aproximar do seu 16º aniversário, terá de optar entre as suas duas vidas e viverá muitas aventuras mágicas.

Lê também: Chilling Adventures Of Sabrina: A magia é negra e o humor também pode ser

The Exorcist (2016-2017)

Um dos temas mais abordados nos filmes de terror é a possessão demoníaca e os exorcismos. The Exorcist, que é uma sequela do filme de 1973 com o mesmo título, foca precisamente este tema. Ao longo de duas temporadas, a série acompanha a história de três padres que lidam com os casos de presença demoníaca numa família e numa casa de acolhimento.

Outcast (2016-2018)

Também sobre o tema da possessão demoníaca e exorcismo, surge Outcast. Com duas temporadas, é baseada na banda desenhada com o mesmo título da autoria de Robert Kirkman, também autor de The Walking Dead.

A série acompanha Kyle Barnes (Patrick Fugit), um homem rejeitado pela comunidade natal por ser suspeito de fazer mal à sua família, que se alia ao reverendo Anderson para tentar salvar pessoas possuídas.