É já no dia 15 de novembro que a personagem digital portuguesa Bruno Aleixo e seus companheiros se estreiam nos palcos portugueses, mais concretamente na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge, na Avenida da Liberdade, em Lisboa, com o espetáculo de stand up comedy Bruno Aleixo – Biografia Não Autorizada.

Para assinalar  o 10.º aniversário da estreia de Bruno Aleixo em televisão, o jornalista Pedro Jorge (biógrafo do magnata) junta-se a João Filipe (um ex-funcionário) para revelar todos os seus podres.

Bruno Aleixo

Foto: Ticketline

Sobre o que se passará de facto no espetáculo há poucos detalhes. Será uma peça de teatro? Serão mostrados vídeos nunca vistos das personagens e dos seus fiéis amigos? Para já tudo o que é sabido é que será “uma retrospectiva biográfica pelos principais momentos da vida de Bruno Aleixo, com vídeos inéditos, vídeos antigos (onde o seu mau feitio seja evidente) e ainda depoimentos de amigos, familiares e personalidades oprimidas”, pode ler-se no sinopse do espetáculo na Ticketline.

Por onde já passou Bruno Aleixo?

A personagem já se tornou icónica no mundo digital português, mas o que muitos não sabem é que Bruno Aleixo foi inicialmente criado para ser semelhante a um Ewok, uma criatura do mundo de Star Wars. Só mais tarde, depois de ter ficado conhecido por uma série de vídeos publicados na internet, intitulados Os Conselhos Que Vos Deixo, é que foi criado o programa televisivo O Programa do Aleixo, altura em que a sua aparência teve de ser mudada (uma vez que os Ewoks são propriedade da Lucasfilm) para a mistura entre um urso de peluche e um cão que todos conhecemos hoje.

Ao longo dos episódios do seu programa, Bruno Aleixo fazia-se sempre acompanhar de amigos ou familiares. Entre eles estava o Busto, co-apresentador do Programa do Aleixo e personificação de um busto de Napoleão Bonaparte, Renato Alexandre, personificação de uma personagem do filme Monstro da Lagoa Negra, e o Homem do Bussaco, um homem de aparência pré-histórica, natural e residente na Serra do Buçaco, na Mealhada, que tem como principal caraterística a dicção que é quase incompreensível, sendo mesmo necessário recorrer a legendas para que este seja entendido pelo espetador.

No espetáculo do próximo mês, garante a organização evento, haverá também “o direito ao contraditório: os testemunhos abonatórios (talvez comprados, quem sabe?) terão o seu espaço, para que seja o público, ele mesmo, a decidir qual partido tomar”.

O espetáculo tem a duração de 90 minutos, sem intervalo, e os bilhetes podem ser adquiridos na online por 10 euros.

LÊ TAMBÉM: TEATRO LA MAISON LEVA BROADWAY HITS A MAFRA