Xavier Rudd
Fotografia: Ticketmaster Australia

Xavier Rudd termina tour no Hard Club

Na passada segunda feira (15), Xavier Rudd concluiu a sua Storm Boy Tour no Hard Club, Porto. Na noite anterior, a cidade de Lisboa recebeu o artista com uma lotação esgotada na Aula Magna. Em ambas as ocasiões, Xavier contou com o português Frankie Chavez para dar início ao espetáculo.

Uma hora após a abertura das portas, Frankie Chavez subiu ao palco da Sala 2 que já se encontrava preenchida. Ao longo de meia hora ouviu-se a sua mistura de Blues e Folk. Entre as canções, Frankie declarou a sua honra em fazer parte dos preparativos da noite cujo principal protagonista era Xavier. Atestou também, com humildade, que o público estava certamente mais empolgado pelo artista australiano. Não obstante, Frankie proporcionou uma introdução confortável e satisfatória.

Cerca de trinta minutos depois, o tão aguardado momento por uma sala que já parecia ter esgotada chegou. Com Honeymoon Bay, Xavier e a sua banda ocuparam o palco em sintonia com o entusiasmo do público.

O ritmo saltitante da festa Folk/Reggae manteve-se ao longo das cinco primeiras músicas. Apesar do concerto ter sido marcadamente esboçado por Storm Boy, o mais recente álbum de Xavier, não faltaram visitas a outros temas como Rusty Hammer e Come People, ambos pertencentes ao reportório da sua colaboração com as Nações Unidas, de 2015.

Quer conhecesse ao pormenor quer não, a audiência reagiu sempre positivamente às novas canções apresentadas. Tal foi evidente em momentos como Best That I Can, Growth Lines e Storm Boy. Era inquestionável a positividade que erradiava o ambiente, tanto nas simples instâncias dançáveis como nas ocasiões mais introspetivas e sossegadas.

Relativamente às canções mais populares de Xavier, a energia do espetáculo parecia duplicar graças à agitação que se fazia ouvir no público. Como não poderia deixar de ser, Follow the Sun fez parte da setlist e obteve reações instantâneas.

No encore cuja existência foi praticamente obrigatória dada a demanda ruidosa da sala, Xavier colocou-se atrás da bateria e fez magia com Lioness Eye, dando uso ao didgeridoo, instrumento australiano.

A atuação foi concluida com Spirit Bird. Instalou-se um silêncio íntimo que mais tarde se tornou numa união que cantou em uníssono. Pareceu ser o fim perfeito para as duas horas de concerto.

O balanço final é bastante positivo. Xavier Rudd soube transmitir através da sua música carinho e diversão, sempre com uma vontade de sorrir e de ver sorrisos. Felizardos seríamos nós se todas as segundas feiras terminassem assim.

Consulta aqui a setlist completa.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
taylor swift fearless
Taylor Swift lança nova versão do álbum ‘Fearless’