O cofundador da Microsoft Paul Allen morreu com 65 anos durante a tarde de segunda-feira (15). Estava numa batalha contra linfoma não-Hodgkin, um cancro de sangue, que tinha aparentemente sido resolvido em 2009.

Allen e Bill Gates, amigos de infância, fundaram a Microsoft em 1975. A empresa teve o seu grande break cinco anos depois, quando a IBM lhes encarregou de desenvolver o sistema operativo para a sua nova linha de computadores pessoais. Este ficou conhecido como MS-DOS, e foi o primeiro passo rumo ao Windows como o conhecemos hoje.

Paul Allen abandonou a Microsoft devido a uma primeira batalha com cancro em 1982, tendo permanecido nos quadros executivos até novembro de 2000. Apesar de abandonar a empresa anteriormente, nunca vendeu as suas acções a Gates. Isto tornou-o um bilionário desde a entrada da Microsoft na bolsa em 1986.

Depois da Microsoft

Também em 1986, Allen fundou a Vulcan Inc., empresa que está envolvida em tudo desde finanças, imobiliário, cinema e até equipas desportivas (incluindo os Seattle Seahawks na NFL, vencedores da Super Bowl XLVIII em 2013).

Allen foi também filantropo, tendo contribuído quase dois mil milhões de euros para inúmeras causas em medicina, cultura e proteção ambiental.

O impacto das suas ações e contribuições fez-se sentir em diversas áreas, principalmente na tecnologia e desporto. A Microsoft lançou uma mensagem do CEO Satya Nadella sobre Allen.

Outras figuras da indústria como o CEO da Google Sundar Pichai, partilharam os seus pêsames.