flamenco
Foto: Unsplash

Almada acolhe a 14.ª edição do Festival de Flamenco

Nos dias 21 e 22 de setembro, a margem sul recebe novamente o Festival de Flamenco de Almada. Este ano o evento, que já vai na sua 14.ª edição, promete bulerías, soleares, tangos, tanguillos, rumbas e uma aposta nos novos talentos.

As celebrações de flamenco em Portugal são cada vez mais frequentes, contando já com os conhecidos festivais de Lisboa e Lagos.

No dia 21 (sexta), David Perez y Su Cuadro Flamenco fazem a abertura do festival com um espetáculo de flamenco tradicional. David Pérez e Maria José León, al baile, são acompanhados al toque (guitarra) por Miguel Pérez e com voz e palmas de Javier Rivera e El Mati.

No dia 22 (sábado), chega a vez de Chiqui Cienfuegos. O artista, que marcou a sua presença em Santiago do Cacém, em Março, volta aos palcos portugueses para juntar o jazz ao flamenco. O espetáculo conta com um piano, um baixo, percussão e o tradicional cante e baile.

“Nesta edição, houve um cuidado especial na diversificação dos 2 espetáculos a apresentar. Cada espetáculo é diametralmente oposto, para que o público entenda as diferentes linguagens atuais deste género de música e dança, elevado a Património Imaterial da Humanidade em 2010 pela UNESCO”, avança a organização em comunicado.

Locais e bilhetes

Os espetáculos que compõem o festival vão decorrer no Auditório Fernando Lopes-Graça, no Fórum Municipal Romeu Correia (Almada).

Os preços variam entre os 8 e os 12 euros, para um espetáculo ou para os dois dias de festival, respetivamente. Os bilhetes podem ser adquiridos no local.

Sobre David Pérez 

flamenco
Foto: divulgação

O bailarino, de apenas 22 anos, é vencedor do prémio El Desplante do Festival Internacional Flamenco de La Unión, um dos mais prestigiados festivais em Espanha. David Pérez começou a sua carreira profissional aos 13 anos no Festival Flamenco de Jerez. Desde 2009, o artista já atuou na Turquia, Holanda, Quénia, França, Bulgária e Japão. A sua carreira internacional passou por uma breve colaboração com o Instituto Cervantes como representante do flamenco.

Sobre Chiqui Cienfuegos

O pianista sevilhano de formação clássica iniciou a sua carreira como pianista de flamenco. O jazz que o caracteriza na cena pública chega tardiamente, contando apenas com um álbum. Crisis, o título do seu primeiro trabalho em estúdio, é resultado da colaboração com Manuel Sierra (baixo e contrabaixo), Antonio Coronel (bateria) e Juan José Amador (voz) . Nele, as influências clássicas juntam-se ao flamenco num trio jazz de sonoridade andaluza.

LÊ TAMBÉM: Maria Rueff veste a pele de Zé Manel Taxista no Casino de Lisboa

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Audiências Bem Me Quer
Audiências. ‘Bem Me Quer’ lidera e sobe a programa mais visto do dia