Depois das fugas de informação que tendem a acompanhar grandes lançamentos da Apple, os novos iPhones foram oficialmente anunciados, nesta quarta feira (12), no Apple Park, e não falta muito para os veres ao vivo.

Como já era esperado, a Apple introduziu um tamanho maior no mesmo design do iPhone X, para eventualmente substituir a linha Plus no formato tradicional.

iPhone XS e XS Max

iPhone XS e XS Max no evento de apresentação Apple

Imagem: Apple

Depois de redesenhar o seu produto mais popular em 2017 (e destruir qualquer lógica de nomenclatura), os sucessores do iPhone X trazem as tão esperadas melhorias a nível de performance, tipicamente associadas a um update “S”.

Por fora, o iPhone XS é idêntico ao modelo do ano passado (143,6mm por 70,9mm). Tem um ecrã OLED de 5,8 polegadas com 2436 x 1125 píxeis, o que resulta em 458 píxeis por polegada.

O novo XS Max tem, praticamente, 0 mesmo tamanho do modelo Plus (157,5mm por 77,4mm), conta com um ecrã aumentado de 6,5 polegadas, com 2688 x 1242 píxeis, tendo a mesma resolução, 458 PPI. Devido ao tamanho superior, o XS Max conta com a maior bateria de sempre num iPhone e apresenta maior autonomia.

Detalhes sobre os novos ecrãs nos iPhones XS e XS Max

Imagem: Apple

De resto, ambos os modelos contam com câmaras melhoradas, gravação stereo para vídeos, uma nova cor dourada, maior resistência à água (certificação IP68) e maior gama dinâmica de cor nos respetivos ecrãs.

Performance ainda melhor

A12 Bionic é o processador por dentro dos novos smartphones e melhora não só a velocidade, mas também o consumo de energia de várias tarefas. É o primeiro feito com um processo de 7nm (quanto menor, melhor a performance pelo mesmo gasto de energia).

Aplicações Machine Learning no iPhone XR

Imagem: Apple

O desempenho em Machine Learning foi onde se registaram os maiores ganhos, com uma diferença de 8x mais operações em redes neurais. Isto reflete-se em aplicações como reconhecimento de elementos em imagens e mapeamento em realidade aumentada.

Dual SIM (mais ou menos)

Os novos iPhones são os primeiros dispositivos Dual SIM da Apple, suportando um SIM físico e um eSIM interno, programável para várias redes. Este eSIM já é utilizado pela Apple nos iPads e Apple Watch, com conectividade 4G LTE.

Na China, onde Dual SIM é popular mas eSIM ainda não é permitido, há a possibilidade de ter dois cartões SIM através de um conector e bandeja diferentes, exclusivos para o mercado chinês.

A capacidade de ter dois cartões SIM em simultâneo já existe há alguns anos. É bastante popular e comum na Europa e Asia onde os dispositivos são, tipicamente, comprados desbloqueados e a preço inteiro.

No mercado norte-americano, a vasta maioria dos consumidores compra smartphones bloqueados em prestações associadas ao seu contrato de comunicações (que tipicamente são muito mais caros dos praticados na Europa).

Por esta razão, nunca houve grande procura por iPhones Dual SIM no seu mercado principal.

No que toca ao lançamento, o iPhone XS estará disponível para reserva a 14 de setembro, com lançamento marcado para 21 de setembro. Vem em versões de 64GB (1.179 euros), 256GB (1.349 euros) e o novo modelo de 512 GB (1.579 euros). O modelo Max acresce 100 euros.

iPhone XR

iPhone XR

Imagem: Apple

Apresentado como um iPhone X “low-cost”, este modelo mantém o processador A12 Bionic e Face ID, mas sacrifica alguns luxos como a estrutura em aço, optando por alumínioEstá disponível em várias cores, desde o clássico preto ou branco até ao amarelo e azul.

A maior diferença está no ecrã. O novo Liquid Retina HD é um LCD de 6,1 polegadas sem sensibilidade à pressão ou “3D Touch” e apresenta uma resolução de 1792 x 828 píxeis a 326 PPI.

Parece pouco? Não necessariamente.

326 PPI é a mesma resolução que os ecrãs retina tradicionais, desde o iPhone 4 até ao iPhone 8, que mostram o sistema operativo a uma ampliação 2x (face aos iPhones pré-retina).

Por comparação, os iPhone X e XS mostram a 3x, para que os elementos mantenham o mesmo tamanho no ecrã apesar da maior densidade.

Isto quer dizer que ainda é um ecrã no qual não é possível discernir píxeis, e que apesar de ter uma resolução mais baixa face aos ecrãs OLED, a diferença de detalhe apenas é perceptível lado-a-lado.

Para além do ecrã, a câmara secundária foi deixada de fora, mas ainda é possível usar o modo retrato através de uma mapa de profundidade artificial, de forma semelhante ao Google Pixel 2 de 2017.

iPhone XR no evento de apresentação

Imagem: Apple

O iPhone XR estará disponível mais tarde, a 26 de outubro, em configurações de 64GB (879 euros), 128GB (939 euros) e 256 GB (1049 euros), em preto, branco, amarelo, azul, coral e (PRODUCT)RED.

Sempre acompanhando novos smartphones, a nova versão do sistema operativo, iOS 12, será lançada a 17 de setembro para iPhones 5S e superior.