Durante os quatro dias do evento, Nuno Markl fez da Comic Con Portugal a sua cave e as sessões foram partilhadas em auditórios preenchidos.

Entre confissões inesperadas e histórias singulares, Nuno Markl foi um dos grandes anfitriões da quinta edição do evento que celebra a cultura pop. O radialista, também assumido geek e voraz consumidor de filmes e séries, esteve acompanhado de caras conhecidas pelo grande público.

Na sua essência, A Cave do Markl é um espaço de conversa onde se fala de tudo um pouco. A prioridade foi dada a assuntos, maioritariamente, de super-heróis.

De conhecedores a leigos

Mesmo com o espírito de celebração da cultura pop na Comic Con Portugal, o espaço de tertúlia de Nuno Markl teve também convidados que “não percebiam nada” sobre estes universos. César Mourão esteve presente e, segundo as suas palavras, não consegue levar a sério um filme com lasers ou de “um tipo que desvia balas em câmara lenta”.

“Não tenho nada contra esses filmes, mas não consigo levar a sério. Respeito quem goste, mas não é para mim (…) Às vezes, posso estar a ver com a namorada e sem me aperceber que estou a assistir a um desses filmes e depois fico perdido com noções de lógica. É uma incapacidade minha”

Por um outro lado, Carolina Torres, atriz e ex-apresentadora do Curto Circuito, orgulha-se da sua coleção de bonecas Barbies. Tem um conhecimento aprofundado sobre o fenómeno e adquire-as num conhecido site de leilões internacional. Admite que tem alguns modelos, porque, em criança, a sua mãe não tinha orçamento para lhe comprar uma.

O que mais gosta é do sentimento de emancipação que transmite e considera que a maior parte das pessoas acha o oposto. Devido a isso, a assumida “nerd” recusa comprar bonecas feitas no século XXI. É também fã da série televisiva Rick and Morty, ao ponto de ter criado bonecos em crochet dos protagonistas.

Lê também: Comic Con Portugal 18: ‘Casa do Cais’ Sem Filtros

“Evangelizar a geekness”

Susana Romana, argumentista, radialista e também fã assumida da cultura pop, explica que o facto de ter um criança pequena não é impedimento de deixar de ver séries televisivas. “O meu filho pode está a chorar, mas não antes de acabar de ver um episódio de Narcos“, diz em tom de brincadeira.

Continuando nesse registo, a mesma explica que, mais tarde ou mais cedo, vai “perder” a atenção do filho para a “febre” dos desenhos animados da Patrulha Pata. “É importante evangelizar a geekness (risos) Por exemplo, um dos seus brinquedos preferidos é um peluche do Chewbacca (do Star Wars)”.

“Brincar com Legos”

Marcos Bessa, designer de sets na Lego, foi também outro dos convidados que brilhou na Cave do Markl. De forma cómica, Nuno Markl define o trabalho do internacional português como “brincar com legos”.

Apesar de ser uma maneira demasiado simplista de resumir o emprego, Marcos Bessa trabalha junto dos estúdios de cinema. No auditório New Genesis, confidenciou à plateia que tem acesso aos argumentos antecipadamente e vê maquetas dos cenários. Durante a conceção dos sets dos Guardiões da Galáxia, conheceu o realizador James Gunn e os atores Chris Pratt e Dave Batista.

A Cave do Markl vai continuar?

Ao que tudo indica, Nuno Markl tem intenção de expandir as sessões de conversa e por isso, o autor da rubrica O Homem que Mordeu o Cão estará a planear um podcast semanal. Ainda não se sabe mais pormenores, mas o sucesso das quatro edições da rubrica na Comic Con Portugal poderá indicar que o podcast está para breve.

 

Fotos de Catarina Abrantes Alves e Tomás Almeida