Colocações no e-mail, publicações em todas as redes sociais e uma mala para fazer. Lisboa é um novo mundo para os caloiros, mas o Espalha-Factos indica alguns locais para visitar.

O Arco do Cego já conheces só de tantas vezes ouvir falar. A Baixa e o Chiado também já não são uma novidade. Trazemos sugestões na capital para onde podes ir estudar, passear ou beber uns copos.

Os futuros amigos da faculdade vão ficar à espera que os convides para os teus planos. Pode ser que com as dicas do Espalha-Factos ainda sejas tu a fazer a visita guiada aos lisboetas.

Para estudar

1. Caleidoscópio: No Caleidoscópio (Campo Grande) estuda-se 24h por dia e 365 dias por ano. É uma sala de estudo panorâmica ideal para quem quer estudar num sítio arejado, com acesso à internet, centro de documentação e auditório. Ah, também tem a vantagem de ficar mesmo no centro da Cidade Universitária.

Caleidoscópio

Caleidoscópio, Campo Grande (Fotografia: Câmara Municipal de Lisboa)

2. Ler Devagar, Lisboa: Uma antiga fábrica de impressão transformada em livraria. Toda esta história, bem como do espaço e a combinação inesperada entre galeria, livraria e café que a Ler Devagar tornam-na ideal para trabalhos de grupo.

Para além disto, o ambiente cosmopolita e criativo do LX Factory onde o espaço se encontra serve de desculpa perfeita para uma pausa no estudo.

Ler Devagar

Ler Devagar, Lx Factory (Fotografia: Facebook Ler Devagar)

3. Palácio das Galveias: Nem sempre a biblioteca da universidade é o sítio mais acolhedor para estudar, visto estar cheio de gente.

Mas se quiseres mudar de ares a biblioteca do Palácio das Galveias é um sítio muito bem localizado (mesmo ao pé do Campo Pequeno) e acolhedor para aqueles dias em que tens mesmo de colar os olhos aos livros. O Palácio foi recentemente restaurado e até tem um jardim para ires relaxar nos intervalos do estudo.

Biblioteca Palácio das Galveias

Biblioteca Palácio das Galveias (Fotografia: José Caria/ Visão)

4. Artisani Telheiras: Estudar numa Gelataria? Sim é possível. Para além da grande variedade de gelados, este local dispõe de ótimas condições para estudar. Com espaços amplos e bem iluminados, possui wifi gratuito e está aberto desde as 13h até às 23h.

Além da Artisani em Telheiras, tens na Lapa-Estrela, no Mercado de Algés, na Doca de Santo Amaro, em Alcântara, no Mercado de Campo de Ourique e em Cascais.

Artisani

Artisani (Fotografia: Instagram Artisani)

5. Chapitô: Sempre que ouves falar do Chapitô associas ao circo. Mas a verdade é que nem só da arte circense vive o Chapitô. A Casa Chapitô fica na Costa do Castelo em Lisboa.

Tem vários espaços e um deles pode ser útil para ti: a biblioteca Luíza Neto Jorge. Tem um arquivo e uma bibliografia rara sobre o mundo do espetáculo e em particular do circo. Abre de Segunda a Sexta-feira, desde as 11h até às 19h.

Para repor as energias depois de horas de estudo, podes ir ao Chapitô à Mesa. Tem três espaços – a esplanada, o miradouro, a petisqueira e ainda um restaurante com vista sobre Lisboa.

Tens ainda um espaço para simplesmente descontrair com os amigos: o Bartô. Tem vários eventos musicais, de cinema, de teatro, de dança, conferências e debates. Está aberto de terça a domingo desde as 22h até às 02h. E claro, não podemos esquecer os espetáculos de decorrem ao longo do ano, na tenda.

 Chapitô

Chapitô (Fotografia: site chapitô)

Onde alimentar o corpo e a alma?

Porque um estudante em Lisboa não passa a vida a estudar, também precisa de descobrir o que de melhor há para comer na capital.

1. Chinês Clandestino: O nome já denuncia a gastronomia. No Chinês Clandestino, perto do metro do Martim Moniz, serve-se comida chinesa.

Neste restaurante come-se na sala, bebe-se a cerveja Tsingtao no quarto e o chá fica reservado para o corredor. Aqui, vais-te sentir num ambiente “furtivo”.

Não há licença, mas há casa cheia. Aconselhamos que marques com alguma antecedência. Este restaurante é uma boa sugestão para quando chegares ao fim do mês apenas com uns trocos na conta: os preços são acessíveis e a comida é caseira.

Abre todos os dias ao almoço entre as 11h30 e as 15h30 e entre as 19h30 e as 23h30 para o jantar.

Chinês Clandestino

Chinês Clandestino (Fotografia: thatchickameliakg/ Instagram)

7. Pois café: Um local que preza pela sua decoração e ementa diversificada. Tem brunch, comida saudável e opções vegetarianas e vegan.

Situado numa das zonas mais históricas de lisboa, é sem dúvida um espaço para o convívio e ideal para estudar. Fomenta ainda a prática Book & DVD Crossing, onde podes levar livros e dvds que já não queres, podendo trocá-los.

Pois, Café

Pois, Café (Fotografia: site Pois, Café)

A noite é dos universitários

1. Casa Independente: Independentemente do evento a que vais, na Casa Independente vais sentir que estás a reviver outra época. O espaço – no coração do Largo do Intendente – resultou de um projeto artístico que revitalizou um antigo palacete.

Num espaço que outrora foi um palacete que vais poder ouvir música dos djs amigos da casa ou provar os petiscos da Tasca Tropica. A Casa promove ainda vários eventos, como concertos, exposições, ateliers, residências artísticas, recitais e saraus.

O Salão Tigre, onde acontecem os espetáculos, está aberto de Terça a Quinta-feira entre as 17h e a meia-noite e à Sexta e Sábado alarga o horário de fecho para as duas da manhã.

Casa Independente

Salão Tigre (Fotografia: site Casa Independente)

2. Copenhagen Bar: Aqui não passa nenhum funk brasilero, nem Reggaeton. No Copenhagen Bar, no Cais do Sodré, o Hip Hop e o RnB dominam a playlist.

Tem uma decoração particular e espaço suficiente para beber e dançar com os amigos. Podes combinar um jantar num dos sítios sugeridos pelo Espalha-Factos e seguir para o Copenhagen a partir das 22h.

Copenhagen Bar

Copenhagen Bar (Fotografia: Facebook Copenhagen Bar)

3. Maria Caxuxa: Se queres ir beber um copo (ou dois, ou três…) com os novos amigos da faculdade e aproveitar as noites lisboetas, esta é uma das sugestões. A Maria Caxuxa fica no Bairro Alto.

O ambiente está a meia luz e decoração em volta é vintage. Aqui podes ouvir as músicas funk que tocam por todo o lado, ao mesmo tempo que bebes uma imperial (2 euros). Se ao final da noite a fome começar a apertar, também há o que comer. Os tremoços ou amendoins custam um euro e as tostas variam entre os três e os cinco euros.

Maria Caxuxa

Bar Maria Caxuxa, no Bairro Alto (Fotografia: Facebook Maria Caxuxa)

4. Páginas Tantas: no meio da confusão do Bairro Alto, há um espacinho com um ambiente calmo e descontraído. O Páginas Tantas é um bar de música jazz, com música ao vivo. O espaço envolvente marca pela diferença, com fotografias e elementos ligados ao jazz.

Tanto é o espaço ideal para beber uma cerveja com amigos, como para beber um chocolate quente no inverno com o namorado/a. Abre todos os dias às 21h e fecha às 2h, exceto às Sextas-feiras e Sábados, em que fecha às 3h.

Páginas Tantas

Páginas Tantas, Bairro Alto (Fotografia: Facebook Páginas Tantas)

Olhar sobre a nova casa

1. Miradouro Largo da Academia Nacional de Belas Artes: no lardo de uma Academia de Belas Artes, só se poderia esperar arte. Os miradouros permitem-te comtemplar, de uma só vez, vários pontos emblemáticos e belos da cidade de Lisboa.

A particularidade deste miradouro é que fica no parque de estacionamento num terraço privado na zona do Chiado.

É ao entrar na propriedade privada que podes privilegiar da vista sobre a Baixa de Lisboa, o Castelo de São Jorge, a Sé, a cúpula dos Paços do Concelho e o arco triunfal da Rua Augusta. Sem esquecer o rio Tejo para completar o cenário.

Miradouro Largo da Academia Nacional de Belas Artes

Miradouro Largo da Academia Nacional de Belas Artes (Fotografia: Site lisboacool)

2. Ribeira da Naus: No centro da cidade, oferece-te um escape à azafama de Lisboa. A Ribeira das Naus dá-te ainda uma das vistas mais bonitas para o Tejo, e um passeio ali durante o pôr-do-sol vai-te recarregar as energias mesmo nas alturas mais stressantes. Com os teus novos amigos ou apenas com a tua playlist favorita, é um local por onde te recomendamos a passar.

Ribeira das Naus

Ribeira das Naus(Fotografia: Timeout)

3. Jardins da Fundação Gulbenkian: Às vezes, precisas mesmo de te abstrair da confusão da cidade. Um dos sítios mais calmos onde o podes fazer em Lisboa é nos Jardins da Gulbenkian.

Apesar de ser numa zona central da cidade, parece que lá dentro entras num ambiente completamente diferente. Leva um livro, alguns apontamentos que precises de ler ou até os teus amigos para dois dedos de conversa. Tem apenas cuidado com os patos.

Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian

Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian (Fotografia: Site Guia da Cidade)

4. Jardins de Belém: Passear em Belém é sempre um bom plano. Sinónimo de Belém é também o verdadeiro Pastel de Nata: quente, com ou sem canela ou açúcar, à colherada ou à dentada. A escolha é à vontade do turista ou do português. Com energia suficiente depois de comer o pastel, podes dar um passeio pelos Jardins de Belém. Um dos pontos essenciais é passar pelo Pavilhão Tailandês. Uma fotografia no Instagram ao pé do Pavilhão e muitos vão pensar que viajaste para o Oriente.

Para estar mais junto ao Tejo, podes ir até ao Jardim da Torre de Belém. Podes ficar apenas a desfrutar da paisagem ou planear passar pelo jardim durante uma caminhada ou corrida ao final do dia.

PavilhaoTailandes

Pavilhao Tailândes, Jardins de Belém (Fotografia: Site Acontece em Lisboa)

5. Anjos70 Art & Fleamarket: Anteriormente conhecida como Feira das Almas, acontece no primeiro fim de semana de cada mês na zona dos Anjos. Nesta feira, podes arranjar umas roupinhas novas a uns preços mais em conta ou até algo para decorares o teu novo quarto na cidade.

Mesmo que acabes por não comprar nada, acaba por ser uma ótima desculpa para um passeio de fim de semana e para explorares aquela zona da cidade.

Art & Flea Market Anjos70

Art & Flea Market Anjos70 (Facebook)

Com André Santos, Ana Rosário e Carlota Real