Startup
Fotografia: Rafaela Simões / Espalha-Factos

From Start-to-Table: Lisboa vai trazer a inovação para a mesa dos restaurantes

O Airport Business Center foi o local escolhido para apresentar o novo programa de aceleração da Startup Lisboa: From Start-to-Table. É assim que se chama o projeto que espera novos empreendedores na área da restauração.

O turista – tanto nacional, como internacional – ganha cada vez mais protagonismo na estratégia das empresas. A Startup Lisboa não é exceção. Quer desafiar os empreendedores do ecossistema da restauração a investir na qualidade das operações dos restaurantes e dos clientes.

Estes procuram cada vez mais a tecnologia nas suas experiências, tornando-se um requisito indispensável. A From Start-to-Table foi criada a pensar no cliente e no setor do turismo. É uma iniciativa que acompanha a sua realidade.

No no início do evento, os temas foram lançados para “cima da mesa”: “A Startup Lisboa, enquanto motor do empreendedorismo, está atenta às necessidades e tendências e quer fomentar a inovação nesta indústria”, afirmou Miguel Fontes, CEO da Startup Lisboa.

Na apresentação do From Start-to-Table estiveram presentes vários representantes de startups relevantes no setor da restauração. Num debate moderado por Joana Duarte falaram sobre a experiência profissional na área e dos desafios que as startups enfrentam.

Experiência

Renata Militão, fundadora do RiceMe e alumni da Startup Lisboa, tem um restaurante cuja base é o arroz e a alimentação saudável.

Desde a confeção de pão com farinha de arroz, passando pelo leite de arroz até ao arroz doce. Renata reconhece os desafios na gestão de uma nova empresa. “Temos de pensar em tudo: contabilidade, gerir pessoas, etc… É muito giro quando falamos do Masterchef, mas na realidade, ter um restaurante é tudo menos sexy, os processos são desgastantes e cansativos.”

Orlando Lopes, Co-Founder da EatTasty, e Joana Dâmaso, Co-Partner na Too – Natural Healthy Food também estão dentro do negócio na área da restauração.

A EatTasty tem já dois anos. Leva comida até outras pessoas em apenas três cliques. Atualmente, são entregues cerca de 200 refeições por dia.

Joana Dâmaso explica o conceito da Too: “A Modern Fodies e a Too são uma fusão do conceito de comida saudável.”

A comida tem uma base vegana e a preocupação ambiental estende-se ao plástico. “Tentamos reduzir o consumo de plástico. É um tema cada vez mais em voga e que é preciso dar cada vez mais atenção.”

Também em torno da sustentabilidade, Bárbara Vidal falou sobre o seu negócio. É fundadora da ideia Wine with a View, que leva o vinho português para perto dos turistas.

Os vinhos são servidos a copo e vendidos em pequenas motas estacionadas junto de monumentos da cidade de Lisboa. Vinho tinto, verde, do Porto e da Madeira, Moscatel e ginjinha: qualquer um deles é servido no copo inquebrável sem plástico.

Numa outra vertente, Miguel Ribeiro, Country Manager Zomato Portugal e Head of Growth para a Europa, lida com o digital. Dá a conhecer o que de melhor há na restauração. “Temos vindo a educar a área da restauração a dar importância à área tecnológica.”

A Zomato pretende em breve entrar numa outra fase: o backoffice. “Queremos ajudar a gerir e a otimizar o negócio com ferramentas digitais.”

Parceiros

Os parceiros do programa de aceleração da Startup Lisboa são a Delta, a Sagres e o Turismo de Portugal. Os parceiros têm um papel fundamental no acompanhamento do programa From Start-to-Table.

O CEO da Delta, Rui Miguel Nabeiro, falou sobre a vantagem de apoiar novas iniciativas: “É bom ouvir e dar a oportunidade a outros, para estarem neste espaço, no futuro.”

Ana Mendes Godinho, Secretária de Estado do Turismo, afirmou que nos últimos dois anos o setor do Turismo, Hotelaria e Restauração criou 100 mil postos de trabalho. O crescimento demonstra não só a capacidade para receber mais pessoas, como também projetos nestas áreas.

Reforçou também o papel da presença de ideais sustentáveis na criação de novas startups. “Temos tentado também contaminar o ecossistema para que se pense em sustentabilidade em Portugal. Esta é a nossa missão todos os dias.”

Duarte Cordeiro, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, também apoia o projeto. Para o Vice-Presidente a restauração é um fator que contribui para a afirmação do turismo. “Temos de ter startups cada vez mais ambiciosas”, refere.

From Start-to-Table
From Start-to-Table. Da esquerda para a direita: Miguel Fontes, CEO da Startup Lisboa; Marco Nanita, Marketing Director da Delta Cafés; Rui Miguel Nabeiro, CEO da Delta Cafés; e Marta Miraldes CFO da Startup Lisboa. (Fotografia: Andreia Mayer/ divulgação)

From Start-to-Table

“Bringing the innovation to the restaurant ecosystem” é o mote para os projetos candidatos à Startup Lisboa. As inscrições já estão abertas – em fromstart-to-table.com – até dia 30 de setembro.

Porque se devem candidatar? Marta Miraldes destaca primeiramente que está em causa um prémio de 10 mil euros para cada projeto vencedor. Estes dividem-se em tecnológicos e não tecnológicos.

Depois das candidaturas, há uma pré seleção de projetos que vão a júri dia 10 e 11 de outubro. Dias mais tarde – entre o 12 e 15 de outubro – os candidatos são informados se ficaram selecionados.

O programa para os projetos selecionados inclui workshops, reuniões de mentoria e de acompanhamento individual para cada projeto e eventos de networking.

Decorre até ao dia 11 de dezembro, encerrando com o Demo Day.

O objetivo é selecionar projetos que tragam inovação ao ecossistema da restauração.

Mais Artigos
Júlio Isidro
Júlio Isidro confirma que está infetado com Covid-19