Esta sexta-feira os livros regressaram aos Jardins do Palácio de Cristal e, como não podia deixar de ser, deixamos-te sugestões de programas imperdíveis. A Feira do Livro do Porto acontece entre 7 e 23 de setembro e, este ano, homenageia José Mário Branco e assinala, também, as manifestações de maio de 1968.

A programação, da responsabilidade de Anabela Mota Ribeiro e José Eduardo Agualusa, é de levar qualquer um a querer simplesmente acampar nos Jardins do Palácio, só para não perder tempo… Por isso, damos-te uma ajuda na organização da tua agenda, destacando o que nos parece ser o mais apetecível.

LÊ TAMBÉM: FEIRA DO LIVRO DO PORTO REGRESSA EM SETEMBRO

Sábado, 8 de setembro

17h00 – Cerimónia de atribuição da Tília de Homenagem ao autor José Mário Branco.

18h00 – Debate No princípio era a canção. José Mário Branco à conversa com Anabela Mota Ribeiro sobre a sua obra, a música, os poemas e a liberdade.

21h30 – Conversa/espetáculo José Mário Branco, Inéditos (1967-1999). Da responsabilidade da Associação José Afonso – Núcleo do Norte, este espetáculo debruçar-se-á sobre o recente álbum do autor homenageado e o a ligação do seu percurso musical a Paris de maio de 1968.

Domingo, 9 de setembro

16h00 – Debate Inventando mundos. Com a moderação de José Eduardo Agualusa, Mia Couto e Afonso Cruz, conversarão sobre a construção de universos próprios na literatura.

21h30 –Spoken Word Utopia. Na primeira das sessões de spoken word, que pretendem explorar a ligação entre a palavra escrita e cantada, Capicua, André Tentúgal e Nuno Artur Silva juntam-se viajar pelas dimensões da palavra utopia.

Terça-feira, 11 de setembro

19h00 – Cinema Sementes de Violência. Neste dia chega o cinema, programação de autoria de António Costa e Guilherme Blanc. O serão passa pelo filme de Richard Brooks, que tem como premissa base um professor e um grupo inter-racial de estudantes e, pela sua controvérsia, marcou a sociedade dos anos 50. O filme será apresentado por Mamadou Ba.

José Mário Branco

José Mário Branco

Sexta, 14 de setembro

19h00 – Debate As revoluções imprescindíveis. Numa conversa com a moderação de Rui Tavares, Dani o Vermelho (Daniel Cohn-Bendit) traz as memórias e as reflexões sobre a revolta estudantil de maio de 1968, da qual foi figura principal.

Sábado, 15 de setembro

16h00 – Debate Memória e Ficção. O passado e o presente, a memória e a ficção. O que influencia o quê? Filipa Martins e João Pinto Coelho respondem, com a moderação de Helena Teixeira da Silva.

19h00 – Oficina Literária Como ler um poema contemporâneo. João Luís Barreto Guimarães vai partilhar, com quem quiser, truques para a leitura de poemas contemporâneos.

21h30 – Spoken word Revolta. Selma Uamusse, Kalaf Epalanga e Miguel Januário questionam sobre a indignação e a revolta na era de hoje.

 

Domingo, 16 de setembro

14h30- Apresentação Ruído Vário. Fernando Pessoa lido de uma forma peculiar, por uma guitarra e pelas vozes de Ana Deus e Luca Argel.

16h00 – Debate Vozes negras, ou livros que nascem de canções. Kalaf Epalanga e Telma Tvon conversam com Sheila Khan sobre a comunidade negra portuguesa, a música e a literatura.

Terça-feira, 18 de setembro

19h00 – Conversa Literatura e Cidadania. Francisco José Viegas vai conversar com Bernardo Carvalho, escritor brasileiro convidado para uma residência artística neste projeto.

Quinta-feira, 20 de setembro

21h30 – Quintas de Leitura É Proibido Proibir. Rui Zink, Filipa Leal, Sandra Salomé, José Anjos, João Paulo Costa, Beatriz Bagulho, João Lóio e Conan Osíris levam a palco palavras de liberdade.

Domingo, 23 de setembro

16h00 – Porto de Encontro. Luís Filipe Castro Mendes – Ministro da Cultura, embaixador e poeta marca presença nesta que é a primeira sessão deste já habitual ciclo de conversas. A moderação está a cargo do jornalista Sérgio de Almeida.

19h00 – Debate Como nasce um romance?. Mário de Carvalho e Ana Margarida de Carvalho vão olhar para os seus próprios percursos e tentar apontar para o momento em que nasce um romance. Inês Fonseca Santos é a moderadora.

21h30 – Cinema Ata-me. Comédia negra e polémica de Pedro Almodóvar, apresentada por João Rui Guerra da Matta.

Programas transversais à duração da Feira do Livro

Curso Breve de LiteraturaPorquês Ler os Clássicos?. Entre 8 e 23 de setembro, pequenas lições sobre autores clássicos com “professores que trabalham na academia estes autores clássicos e também leitores-amantes”, como se poder ler no texto de apresentação a este curso, escrito por Anabela Mota Ribeiro.

Concertos Porta-Jazz. A conhecida Associação Porta-Jazz brindará os visitantes dos Jardins do Palácio de Cristal com brilhantes concertos.

Voos Cativos em Balão de Ar Quente. Para quem tiver um tempinho para gastar entre sessões – e não só –, às sextas e sábados existe a oportunidade de ver de um outro ângulo aqueles que são dos jardins mais bonitos da invicta.

Sussurrar a Liberdade. Nos três fins-de-semana vão ser apresentadas três performances de dança contemporânea que tem como mote a liberdade.

Maio 1968 – A Revolta em Cartazes. Exposição no Foyer do Auditório da BMAG, que reúne cartazes revolucionários da École des Beaux-Arts.

Cabine de Escalas. Um espaço no qual podemos encontrar editoras independentes e de pequena escala.

A programação completa pode ser encontrada aqui.

LÊ TAMBÉM: PRÉMIO ALTERNATIVO AO NOBEL DA LITERATURA: NEIL GAIMAN E MURAKAMI ESTÃO ENTRE OS FINALISTAS