George
Foto: Pinterest

10 livros que podes ler enquanto ‘The Winds of Winter’ não chega

Os fãs de Game of Thrones e A Song of Ice and Fire (não, não é a mesma coisa) têm todos uma coisa em comum – estão habituados a esperar ansiosamente pelo próximo episódio, temporada ou livro. Em vez de deixares a tua prateleira encher-se de poeira enquanto esperas por The Winds of Winter, aqui ficam 10 sugestões de leitura que qualquer fã do universo de George R.R. Martin deveria conhecer.

Não interessa se o que te prendeu a atenção na saga de A Song of Ice and Fire foi o violento mundo fantástico ou as deliciosas intrigas políticas. Estes livros captam toda essa essência. São obras que fogem à tradicional fantasia clássica e eurocêntrica, cuja inspiração vem do folclore africano e do médio oriente. E não te esqueças do que George R. R. Martin diria sobre isto: “um leitor vive mil vidas antes de morrer. Um homem que nunca leia, vive apenas uma”.

Uma lufada de ar fresco é o que te propomos com esta lista. Grande parte dos livros que te vamos dar a conhecer fazem parte de sagas e todas elas viram o seu mais recente capítulo a chegar às livrarias (não necessariamente as portuguesas) em 2017/2018.

The Fall of Gondolin, de J.R.R. Tolkien e Christopher Tolkien

Foto: Amazon

Para ser publicada a 30 de agosto de 2018, The Fall of Gondolin, foi por Tolkien considerada “a primeira história real deste mundo imaginário” e junta-se a Beren and Lúthien e The Children of Húrin. Podes voltar a perder-te no universo de Tolkien aqui.

The Fall of Gondolin, uma história escrita pelo autor inglês quando estava no hospital após a batalha do Somme – 1.ª Guerra Mundial. Para John Garth veio estabelecer o padrão de tudo o que Tolkien viria a escrever – “tem um Senhor das Trevas, o primeiro encontro com orcs e balrogs, um herói relutante que se transforma num herói genuíno – era realmente Tolkien a preparar-se para o que viria a fazer”.

No conto The Fall of Gondolin gladiam-se dois dos maiores poderes na Terra Média. Morgoth, o primeiro Senhor das Trevas e Ulmo, deus do mar. Central para inimizade entre deuses está a cidade de Gondolin, bela mas secreta. Construída e povoada por elfos Noldorin, que se rebelaram contra o domínio dos deuses e procuraram refúgio na Terra Média.

Ulmo escolhe o seu benfeitor Tuor e envia-o numa terrível viagem, para Gondolin, onde acabaria por casar com Idril e ter um filho Earendel, cujo nascimento marcaria profundamente o futuro previsto pelo deus do mar. No entanto o terrível final aproxima-se e uma terrível traição dá a Morgoth tudo o que precisa para atacar e devastar a cidade élfica. A queda de Gondolin é um relato assombroso, que não esconde um final feliz.

City of Lies, de Sam Hawke

Foto: Amazon

O primeiro livro na saga Poison Wars, publicado em julho deste ano mas que ainda não chegou a Portugal, marca a estreia de Sam Hawke no universo fantástico. Podes encontrá-lo aqui.

“Tinha sete anos na primeira vez que o meu tio me tentou envenenar…”. É como começa e para Robin Hobb: “se a primeira linha não te fizer comprar este livro, devias entregar o teu emblema de amante de fantasia”.

Jovan faz-se passar pelo melhor amigo de um herdeiro irresponsável, quieto e esquecível. Em segredo, é um mestre de poções e químicos, treinado para proteger a família do Chancellor, de qualquer traição. Quando o Chancellor morre envenenado e um exército cerca a cidade é de Jovan, e da sua irmã Kalina, que depende a proteção do herdeiro e a salvação da sua cidade-estado.

The Poppy War, de R.F. Kuang

Foto: Amazon

Publicado em abril deste ano, The Poppy War ainda não se estreou nas livrarias portuguesas, mas podes encontrá-lo aqui. A épica obra do autor sino-americano traz à memória um precedente histórico doloroso, contado num estilo obscuro.

A jovem Rin perdeu os pais na guerra. Viu o destino trazer-lhe uma vida de desespero e servitude às mãos dos seus criminosos guardiães. Mas tudo muda quando consegue entrar para a mais elite escola militar em toda Nikan, surpreendendo toda a gente, incluindo ela própria. The Poppy War é fantasia que parte de ficção histórica e um ótimo ponto de partida para quem procura uma história inteligente, de proporções épicas e que tenha como personagem principal uma mulher.

Lost Gods, de Micah Yongo

Foto: Amazon

Micah Yongo estreia-se no universo literário fantástico com um romance que mistura o mito e o folclore africano com uma linguagem política e com uma pequena pitada de fantasia para dar sabor. Lost Gods é o título e podes encontrá-lo aqui.

Em Lost Gods, Neythan cresceu para fazer parte dos Shedaím, uma irmandade de assassinos. Uma missão acaba mal. Com o seu melhor amigo assassinado e com Neythan a ser acusado pela sua morte. Agora um homem procurado tem de abandonar toda a vida que conheceu – a irmandade – para conseguir vingança do assassino que o acusou.

A saga Assassin’s Fate, de Robin Hobb

Foto: Amazon

Robin Hobb não é uma cara nova no universo fantástico. Pseudónimo de Margaret Ogden, autora norte-americana que se viu forçada a assumir uma nova identidade para assegurar o sucesso das suas obras.

Uma trilogia nos Estados Unidos, em Portugal ainda se aguarda o capítulo final da saga Assassino e o Bobo, Assassin’s Fate em inglês, publicado em maio do ano passado e disponível aqui. Nas prateleiras dos portugueses já estão disponíveis O Assassino do Bobo, desde a mesma altura que o último livro da saga saiu para as livrarias internacionais, A Revelação do Bobo, desde fevereiro de 2018, e A Demanda do Bobo, desde maio do mesmo ano. The Fool’s Quest é o livro original que foi partido nos dois últimos volumes disponíveis em Portugal. Podes encontrar a saga, publicada pela Saída de Emergência aqui.

A sua saga Assassino e o Bobo é uma história que vem a ser contada há mais de 20 anos. Foi em 1995 que foi publicado o primeiro livro sobre o bastardo real FitzCavalaria Visionário com o Aprendiz de Assassino e 10 livros não foram suficientes para o universo fantástico se fartar. Segundo a autora a ideia surgiu num pedaço de papel que guardava na gaveta e que dizia simplesmente “e se a magia fosse viciante. E se a magia fosse destrutiva?”. E assim começou.

Foi assim que Robin Hobb gravou o seu nome nos marcos da fantasia moderna. Juntamente com George R.R. Martin, que considerou os livros da autora norte-americana “diamantes num mar de zircões”, revolucionaram o seu género literário e prepararam caminho para novas vozes e uma nova vaga de literatura fantástica.

Em Assassino e o Bobo abre-se um novo capítulo, sombrio e emocionante, na vida de FitzCavalaria – bastardo real e antigo assassino do rei – deixou a vida de intriga para trás e tanto quanto o mundo sabe, o príncipe bastardo está morto e enterrado. Agora casado com a sua paixão de infância, Molly, vive a vida de um depositário rural, na pele de Tomé Texugo.

O desaparecimento do Bobo, amigo que tanto fez para moldar Fitz no homem que é volta para o assombrar, na forma de gente pálida, desconhecida que vai ameaçar a sua vida e daqueles que ama… enquanto lança uma sombra sobre o seu passado… e futuro. Parece que o antigo assassino terá sempre de voltar ao seu verdadeiro eu para proteger o que arduamente conquistou. Pedaço, a pedaço o príncipe bastardo vê-se, impotente, a perder tudo o que mais preza. A quem irá ele ceder para conseguir a sua vingança? Ao príncipe ou ao assassino?

“Hobb conhece o complicado funcionamento do coração humano e é assim que é capaz de o descrever na sua história, para contá-la com doçura, insistência e força… Um livro destinado a ser vivido em vez de lido” – lê-se no The Seattle Times.

A saga The Shattered Realms, de Cinda Williams Chima

Foto: Amazon

Flamecaster abriu caminho à nova saga de Cinda Williams Chima em 2016. A um ritmo vertiginoso seguiu-se Shadowcaster em 2017, em 2018 Stormcaster e já está previsto, para 2019, o capítulo final com Deathcaster. Nenhum dos livros foi ainda traduzido para português, mas estão todos disponíveis na Wook.

A série de Cinda Williams Chima começa com Ash, um curandeiro que procura vingança contra o rei que roubou o reino à sua mãe e com Jenna, uma feiticeira em fuga das forças do rei. O mundo é pelos seus fãs já conhecido, da sua saga Seven Realms, mas a história de magia negra, ameaças e personagens inesquecíveis a percorrer o ténue caminho entre vida e morte é uma novidade de cortar a respiração. The Shattered Realms contam a história de aliados improváveis, um mundo em guerra, segredos que são revelados e antigas traições expostas, num mundo onde laços de sangue e a amizades verdadeiras podem não ser suficientes.

A saga The Legacy of Orïsha, de Tomi Adeyemi

Foto: Amazon

Tomi Adeyemi, autora nigeriano-americana, estreou-se no universo fantástico com Children of Blood and Bone, o primeiro livro da saga The Legacy of Orïsha, que já está a ser adaptado para o grande ecrã pela Fox 2000 e Temple Hill Productions. O segundo capítulo da sua saga, Children of Virtue and Vengeance só chega às livrarias em 2019, mas já está disponível para pré-encomenda na Amazon.

Tomi Adeyemi cria um mundo vertiginoso de magia negra e perigo e tem como principal inspiração mitos e folclore da África ocidental. O primeiro livro foi um dos bestsellers do New York Times e segundo a Booklist foi “uma lufada de ar fresco com um elenco de personagens inteiramente negro, um ênfase numa luta significativa pela justiça e uma heroína complexa que procura salvar o seu próprio povo“.

Children of Blood and Bone começa esta saga com a história da jovem Zélie viu todos os dotados com magia serem massacrados, incluindo a sua mãe. Chamou a si a responsabilidade de trazer a magia de volta e fazer cair a impiedosa monarquia, responsável pelo massacre dos seus. Com a ajuda de uma princesa fora-da-lei, Zélie procura a sua vingança contra o príncipe coroado… enquanto luta para conter os seus próprios sentimentos contra o inimigo que jurou matar.

A saga The Empires of Dust, de Anna Smith Spark

Foto: Amazon

The Court of Broken Knives marcou o seu início no mundo literário e The Tower of Living and Dying deu-lhe continuidade e trouxe-a para 2018. A autora inglesa estreia-se com uma obra “notável que horroriza como uma tapeçaria manchada de sangue. O humor áspero, grande drama e o amor de contar histórias brilha em todas as páginas”, segundo o Daily Mail.

É o império mais rico que o mundo alguma vez conheceu, e sua jóia, Sorlost sempre se ergueu imponente, eterna e invicta. Mas numa cidade de sonhos, sob o reinado de um imperador que não tem valor nenhum para ostentar esse título, a decadência tornou-se a sua verdadeira governante. O império está à beira de uma invasão que o vergará e apenas um homem consegue vê-lo – Orhan Emmereth. Farto da devassidão e decadência que assolam uma outrora magnânima cidade, contrata mercenários para matarem os seus compatriotas e o seu governante. Mas um dos mercenários não é quem aparenta.

A trilogia An Ember in the Ashes, de Sabaa Tahir

Foto: Amazon

A trilogia de Sabaa Tahir, que começou a ser publicada em 2015 com An Ember in the Ashes, teve seguimento em 2016 com A Torch against the Night e viu a sua história chegar  ao final com A Reaper at the Gates ainda este ano. O primeiro volume já chegou às livrarias portuguesas, como Uma Chama entre as Cinzas e podes encontrá-lo aqui.

“An Ember in the Ashes pode lançar Sabaa Tahir no território de JK Rowling… Tem a qualidade viciante de The Hunger Games, a fantasia de Harry Potter e a brutalidade de Game of Thrones”Public Radio International

An Ember in the Ashes conta a história da filha órfã de lutadores da Resistência que perde toda a família quando os seus avós são mortos e o irmão capturado pelo Império Marcial. Para salvar a família que ainda tem, Laia, disfarça-se de escrava para ganhar acesso à academia militar de BlackCliff, onde se torna espia para a Resistência.

Uma história de sangue e caos, o mundo de Sabaa Tahir está dilacerado por guerra e rebeldes, fações a guerrear por supremacia e forças imemoriais que perseguem almas humanas.

A trilogia The Winnowing Flame, de Jen Williams

Foto: Amazon

A trilogia de Jen Williams teve o seu primeiro capítulo, The Ninth Rain, publicado em 2017 e o segundo, The Bitter Twins, este ano. O capítulo final, The Poison Song, vai ser publicado em maio do próximo ano. A obra do finalista do British Fantasy Awards já chegou às livrarias portuguesas e podes encontrar o primeiro volume aqui e o segundo aqui, ainda que só em inglês.

Era uma vez, uma cidade que salvou o mundo dos monstros conhecidos como Jure’lia – Ebora. Agora, os Jure’lia ameaçam a civilização humana outra vez, mas Ebora, agora decadente devido a disputas internas, não é capaz de a voltar a salvar. No seu lugar, uma exploradora chamada Vintage e os seus camaradas, Tourmalin e Noon, encontram-se responsáveis por salvar o mundo da sua destruição.

LÊ TAMBÉM: SHARP OBJECTS: O QUE É QUE ACONTECE ÀS PERSONAGENS NO LIVRO?

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Taís Araújo
‘Viver a Vida’ está de regresso à SIC