O filme Tito e os Pássaros (2018), a estrear já em setembro no Festival Internacional de Cinema de Toronto, no Canadá, foi selecionado pelo Shout! Studios para concorrer aos Oscars. A animação brasileira conta com a realização de Gabriel Bitar, André Catoto e Gustavo Steinberg.

Tito e os Pássaros foi construído através de desenhos digitais, animação gráfica, e ainda pinturas a óleo, tal como o nomeado pela Academia no último ano A Paixão de Van Gogh (2017). O filme retrata, assim, a história de um rapaz de dez anos que, com a ajuda dos seus amigos e através de uma investigação do seu pai sobre músicas de pássaros, salva o mundo de uma epidemia de medo.

Infelizmente, parece que a epidemia de medo sobre a qual o filme se debruça não é exclusiva ao Brasil – tem vindo a afetar todo o mundo“, sugeriu Gustavo Steinberg, um dos três realizadores de Tito e os Pássaros. Com isto, o cineasta demonstrou-se preocupado com a atual situação política nos Estados Unidos. “Então eu espero que o filme inspire as crianças norte-americanas a enfrentá-la – tal como Tito e os seus amigos“, concluiu Steinberg, que divide a autoria do argumento do filme com Eduardo Benaim.

A banda sonora do filme parte das mentes de Gustavo Kurlat e Binho Feffer, também responsáveis por dar música a O Menino e o Mundo (2013), nomeado para o Oscar de Melhor Filme de Animação em 2016.

O estúdio de cinema que vai distribuir o filme, Shout! Studios, competiu pela primeira vez aos Oscars no ano que passou, com o japonês Neste Canto do Mundo (2016). No entanto, o filme não foi indicado para nenhuma estatueta dourada. Para além de Tito e os Pássaros, vai a concurso por parte do estúdio o filme chinês Dayu haitang (2016), também em formato animação.

Vê o trailer: