A longa metragem “Pedro e Inês”, realizada por António Ferreira, vai estar a competir no Festival Internacional de Cinema de Montreal (Montreal World Film Festival – MWFF) de 2018, a decorrer entre 23 de agosto e 3 de setembro no Canadá.

O filme, produzido por Tathiani Sacilotto da Persona Non Grata Pictures, em coprodução com França e  Brasil, vai ter a sua estreia mundial neste festival internacional, uma vez que “Pedro e Inês” só chega às salas de cinema portuguesas no dia 18 de outubro.

O Festival de Montreal, fundado em 1977, é dos mais antigos festivais internacionais de cinema do Canadá e é o único festival de cinema competitivo da América do Norte que é credenciado pela Federação Internacional de Associações de Produtores Cinematográficos (FIAPF). O filme português está selecionado para a principal categoria deste evento, a “World Competition”, que conta com mais de 24 filmes de 16 países.

“Pedro e Inês” é uma adaptação do romance de Rosa Lobato de Faria, “A Trança de Inês” e é uma das produções portuguesas mais ambiciosas dos últimos anos . O filme, que foi rodado entre julho e agosto do ano passado, é protagonizado por Diogo Amaral e Joana de Verona. Conta ainda com Vera Kolodzig, Custódia Gallego, Miguel Borges, João Lagarto e Cristóvão Campos no elenco.

Esta longa metragem demorou 10 anos a ser produzida e conta-nos a história de Pedro, que se encontra internado num hospital psiquiátrico por viajar estrada fora de carro com o cadáver da sua namorada, Inês. No hospital, Pedro vai recordando três vidas diferentes, inclusivamente a vida ao lado da sua amada.