gonçalo caboz

Gonçalo Caboz mostra o seu talento nos Concertos L

Ao sexto concerto da edição deste ano dos Concertos L, na Madeira, foi o momento de ver atuar um artista da terra. O jardim da Estalagem da Ponta do Sol encheu uma vez mais para receber Gonçalo Caboz. Gonçalo estuda em Lisboa, na Escola Superior de Música, e lançou recentemente o seu primeiro EP, Momentum.

Num concerto versátil, o músico natural da Ponta do Sol “acelerou” para um espetáculo que ficará na memória do público dos Concertos L, com a música Acceleration. Trata-se da primeira faixa do seu álbum. Um som que, gradualmente, se impôs no espaço do jardim, qual música ambiente.

A segunda música foi uma adaptação do tema Hurt, original dos Nine Inch Nails e celebrizado por Johnny Cash. De novo acompanhado pela bateria, por um violino, uma viola de arco e um violoncelo, Gonçalo deu voz e piano à música presente no segundo álbum da banda norte-americana.

Seguiu-se mais uma cover. Desta feita uma versão instrumental da música Crawling, dos Linkin Park. Um arranjo musical clássico contemporâneo bem estruturado que, Gonçalo revela, serviu de homenagem à banda com a qual cresceu. Para cantar as três músicas seguintes, o músico madeirense chamou ao palco a sua irmã, Beatriz Caboz. Permaneceram com ela Gonçalo e o baterista.

Beatriz interpretou a canção Menina Estás À Janela, de VitorinoCreep, clássico dos britânicos Radiohead, e um tema original de Gonçalo, chamado Dots, que estará disponível no próximo álbum. A voz imponente de Beatriz Caboz casou na perfeição com o piano de Gonçalo, que se foi mantendo sereno e acertado na sua performance. Mesmo quando precisou de improvisar.

De volta aos temas do primeiro EP, e agora sem Beatriz, Gonçalo Caboz tocou então Inertia e Impulse. No álbum, o artista madeirense pretende refletir sobre uma sociedade em mudança onde quase não sobra espaço para apreciar o presente. Ironicamente, Gonçalo conseguiu com este concerto fazer com que as pessoas desfrutassem de um momento agradável, seja pela música, seja pelo seu bom humor na interação com o público.

Das três músicas que se seguiram, duas Gonçalo nunca tinha tocado ao vivo. Nomeadamente a Momentum e a Butterfly. Esta última tocada com alguma improvisação, por ser um tema novo no qual o músico ainda está a trabalhar. Antes dessas duas, tocou Still e no fim já não conseguia esconder o sorriso pelo carinho demonstrado pelo público. Gonçalo tocou as três músicas sozinho no palco. Apenas ele e o piano. E assim confirmou a pujança dos seus arranjos.

Para acabar, Gonçalo Caboz e a sua banda tocaram mais uma vez Inertia, quarto tema do álbum Momentum.

Mais Artigos
Herman José
Herman José faz piada sobre a contratação surpresa da SIC