Nocturnus
Foto: página oficial do grupo Instantâneos no Facebook

‘Nocturnus’: o fenómeno de sucesso dos contos improvisados de Edgar Allan Poe

Nocturnus é o nome do novo projeto do grupo Instantâneos que se transformou num fenómeno de bilheteiras. Em poucos dias esgotou todas as datas, incluindo a data extra marcada para esta terça-feira, dia 14. O Espalha-Factos foi à procura das razões por trás deste sucesso e falou com os Instantâneos.

Nocturnus: Edgar Allan Poe renasce à meia noite

É exatamente às 23h59 que o público na Quinta da Regaleira é transportado pelos Instantâneos para Nocturnus, o seu novo espetáculo. No conhecido ambiente místico da quinta sintrense, os contos de Edgar Allan Poe ganham vida. Segundo Marco Graça, ator e diretor artístico do grupo, a ideia surgiu em 2017, quando estávamos a apresentar na Quinta da Regaleira, o espetáculo “Ser ou Não Ser Shakespeare” e por puro acaso, falámos de Edgar Allan Poe e de como o universo do escritor seria perfeito para o ambiente da Quinta”.

Nocturnus
Foto: divulgação

Baseado nos contos do autor norte-americano e nos mistérios da sua mente, a peça decorre praticamente sem guião. O grupo de improviso baseia-se em palavras ou dicas do público e em jogos teatrais que conferem unicidade a todos os espetáculos: “é essa a magia da improvisação teatral, os atores saberem tanto como o público, sobre aquela história que está a ser criada e contada. A peça, que é promovida pela Fundação CulturSintra, transformou-se num fenómeno de bilheteiras.

Um improviso de sucesso

O feedback positivo do público refletiu-se nas bilheteiras: todas as datas estão esgotadas, até a data extra que é já esta terça-feira, dia 14. “Ouvimos os comentários do público e existe sempre um fator de surpresa (e muitas vezes de espanto), quando alguns espetadores descobrem, somente no final do espetáculo, que o conto que acabaram de ver foi totalmente improvisado”, revela o ator.

Questionado acerca das razões do sucesso de Nocturnus, Marco Graça diz que o grupo apostou forte na comunicação e acreditou que este era um projeto inovador em relação a outros. “Tínhamos a certeza que esta era uma proposta muito diferente do habitual, que conseguiríamos aguçar a curiosidade e o interesse do público. A acrescentar a isto, soma-se o facto de cada espetáculo, ser uma experiência única e irrepetível”.

Para além destas razões o ator acredita que o universo de Edgar Allan Poe atraiu muitos leitores curiosos e que as participações especiais de Rute Lizardo, Beatriz Frazão e da bailarina Cecília Hudec foram também factores decisivos na escolha do público.

Mas… quem são os Instantâneos?

Os Instantâneos são um grupo de improvisação teatral que nasceu em 2011. Para além de Marco Graça dele fazem parte Marco Martin, Nuno Fradique, Ricardo Soares (improvisadores), Fábio Ventura (Produção), João Frazão (Sonoplastia/Figurinos) e Nuno Gomes (improvisador de luz).

O grupo tem aperfeiçoado e estudado a arte da improvisação e cada projeto oferece um conjunto de experiências que dificilmente se repetem, ainda que o espetáculo seja o mesmo. Desde 2012 que é responsável pela produção do único festival internacional de teatro de improviso, em Portugal – o Espontâneo.

Próximas datas

Para Nocturnus não estão, para já, marcadas mais datas, mas não desesperes.

Nocturnos
Foto: divulgação

Vai ficando atento, senão podes também ver os Instantâneos dia 15 de setembro no seu próximo espetáculo, no Centro Cultural Olga Cadaval (Sintra). Os bilhetes para Improvisadamente, um projeto de comédia e improvisação, estão disponíveis aqui.

LÊ TAMBÉM: ARTES À RUA: HÁ UM NOVO VERÃO POR DESCOBRIR NO ALENTEJO
Mais Artigos
‘Voices of Fire’. Pharell Williams vem em busca dos novos talentos do gospel