Divulgação

A Pequena Sereia: Uma sereia fora de água?

Pode ser visto como um twist ao conto clássico, escrito por Hans Christian Andersen. Tem semelhanças com A Pequena Sereia (1989) da Disney pois, para além de ser seu homónimo, também é o trabalho de uma dupla de realizadores. Depois de A Bela e o Monstro (2017), é o próximo remake de um filme da mesma companhia. Mas saiu 29 anos mais tarde e estreia hoje, dia dois de agosto, nos cinemas portugueses.

A Pequena Sereia, realizado e escrito por Blake Harris e co-realizado por Chris Bouchard, é uma vaga adaptação que reinventa a história original para a aventura de um jovem repórter, Cam, e a sua irmã mais nova, Elle, que descobrem uma encantadora criatura que julgam ser a verdadeira pequena sereia. Como esta se encontra presa no aquário de um circo no Mississipi, nos Estados Unidos da América, juntos embarcam na demanda de a retirar daquele lugar.

O elenco do filme conta com Poppy Drayton no papel da sereia, William Moseley como o repórter Cam, Loreto Peralta a fazer da sua irmã mais nova, e Shirley Maclaine como a avó que conta esta história toda às suas reticentes netas. Maclaine, a estrela neste elenco, é detentora de um Oscar de Melhor Atriz Principal pelo multi-vencedor Laços de Ternura (1983), e ficou mundialmente famosa pela sua prestação em O Apartamento (1960), um dos clássicos do colossal Billy Wilder, onde protagonizou a carismática Fran Kubelik.

O original da Disney gerou mais de 180 milhões de euros em termos mundiais. No entanto, passava-se no fundo do mar, ao contrário da nova versão. Contava então a história de Ariel, a pequena sereia que se queria tornar humana, e dos seus amigos Sebastian e Flounder.

Frame do filme original da Disney, A Pequena Sereia (1989) (Foto: IMDb) 

A animação marcou o começo da era de renascimento da Disney, que durou dez anos após a sua estreia através do lançamento de filmes como A Bela e o Monstro (1991), O Rei Leão (1994) ou Mulan (1998). A companhia, que sempre tivera imenso sucesso, via então a sua produtividade no campo da animação a afundar-se. Mas, depois do aclamado Quem Tramou Roger Rabbit? (1988), que combina ato real com cartoonA Pequena Sereia espoletou o recomeçar do sucesso da Disney nos filmes inteiramente animados.

Mas as divergências ainda podem ser notadas. Se a adaptação de 1989, que surgiu da co-autoria dos realizadores Ron Clements e John Musker, era no formato de animação, a de 2018 é construída em ato real, ou seja, filmada e, naturalmente, com atores e prestações reais. Para além disso, o filme original, antes de atingir o estatuto de clássico, ainda arrecadou dois Oscars, ambos relativos à música.

Ainda será cedo para comentar, mas a especulação deixa o público ansioso e à espera para ver se essas divergências serão assim tão notórias. Até porque as expectativas estão altas e a crítica de olhos bem abertos.

Vê o trailer:

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Gossip Girl
Há novidades do reboot de Gossip Girl (e imagens!)