Continua a polémica em torno do despedimento de James Gunn. O realizador foi afastado pela Disney na sequência de frases polémicas no Twitter. Depois de se expressar individualmente, o elenco de Guardiões da Galáxia emite agora um comunicado conjunto.

“Puro fascismo”

É uma das notícias do momento e continua a dar que falar. O Espalha-Factos tem estado a acompanhar o despedimento de James Gunn que foi despedido da realização de Guardiões da Galáxia 3, após terem sido repescadas uma série de afirmações polémicas.

As afirmações e piadas sobre temas controversos como a pedofilia, foram proferidas no Twitter… há dez anos atrás. Isso não impediu a Disney de despedir James Gunn, considerando as frases “indefensáveis“. Mas são muitos os que parecem discordar.

Membros do elenco de Guardiões da Galáxia e outras personalidades do mundo do entretenimento já se expressaram sobre o tema. Dave Bautista, Drax em Guardiões da Galáxia, referiu-se a Gunn como “uma das melhores pessoas” que conhece. Nuno Markl fala em “métodos de puro fascismo“.

“Redenção: o tema central”

Corre até uma petição para a Disney re-contratar James Gunn, que conta já com cerca de 350 mil assinaturas. E o movimento parece ter levado um empurrão. O elenco de Guardiões da Galáxia publicou esta segunda-feira (30 de julho) uma carta aberta a pedir que Gunn seja novamente contratado.

O elenco manifesta o apoio incondicional a James Gunn e diz-se “chocado pelo seu despedimento abrupto. Esperámos estes dez dias propositadamente, antes de nos manifestarmos. Até aqui, temos encorajado todo o apoio dos fãs a esta causa.”

O elenco garante não se tratar de desculpar as piadas de James Gunn mas de redenção, “a temática central aqui. O carácter que o James mostrou aquando do seu despedimento é coerente com o homem que ele foi durante a rodagem dos filmes. Também as nossas personagens nos filmes procuram redenção e o tema é mais válido do que nunca.”

“Parem com assassinatos de caráter”

A carta aborda o clima político vivido nos Estados Unidos da América, dizendo que “há poucas diligências no tribunal da opinião pública. O nosso país está dividido e este tipo de coisa vai continuar a acontecer. Mas esperamos que os Americanos, de todos os quadrantes políticos, parem de fazer assassinatos de caráter e de usar a mentalidade do público como arma.”

As palavras são fortes e contundentes, num comunicado assinado por todos os mais sonantes nomes do elenco. Para além de Bautista, Chris Pratt e Zoe Saldana, também Bradley Cooper e Vin Diesel dão a conhecer agora a sua perspectiva.

Nuno Markl, que tem acompanhado o processo, falou num gesto “bonito. Isto seria o triunfo do Bem. Sim, leram bem. Fazer piadas de choque há 10 anos (…) não faz de um tipo um criminoso que merece ser escorraçado. Façam-se figas.

É mais um importante desenvolvimento nesta história, que parece opor duas formas muito diferentes de encarar a vida em sociedade. Aguarda-se a reação da Disney.